21:26 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6163
    Nos siga no

    A Boeing teria recusado uma oferta do Pentágono de US$ 85 bilhões (R$ 349 bilhões) para desenvolver mísseis balísticos intercontinentais (ICBM), com o objetivo de substituir os antigos Minuteman III.

    "A Boeing continua apoiando uma mudança estratégica de aquisição que traria o melhor da empresa para essa prioridade nacional e demonstraria valor para o contribuinte americano", informou a Boeing, segundo o portal Bloomberg.

    Na sexta-feira (13), a Boeing decidiu não concorrer ao programa do Pentágono, destacando que, em julho, a empresa norte-americana questionou uma suposta concorrência desleal.

    Míssil balístico intercontitental Minuteman III é visto na base aérea de Minot, nos EUA (foto de arquivo)
    © AP Photo / Charlie Riedel
    Míssil balístico intercontitental Minuteman III é visto na base aérea de Minot, nos EUA (foto de arquivo)

    Os ICBM da família Minuteman foram originalmente desenvolvidos com propósitos nucleares durante a Guerra Fria.

    Atualmente, o Minuteman III é o único míssil balístico intercontinental terrestre utilizado nos EUA, sendo capaz de atingir alvos em um raio de 12 mil quilômetros.

    Mais:

    China: declarações do Pentágono provam que EUA desenvolveram mísseis antes de sair do INF
    Pentágono: EUA têm que alcançar Rússia no desenvolvimento de armas hipersônicas
    Pentágono testa pela 1ª vez míssil balístico antes proibido pelo Tratado INF (VÍDEO)
    Tags:
    EUA, programa de mísseis balísticos, mísseis balísticos, mísseis, Pentágono, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar