15:27 03 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    478
    Nos siga no

    A Força Aérea dos EUA planeja "lançar uma 'Horda de Ouro' robótica sobre os adversários", de acordo com a revista americana Popular Mechanics.

    Horda de Ouro (Golden Horde em inglês) está sendo desenvolvido como um sistema de armas de precisão semiautônoma que também estipula o uso de inteligência artificial e comunicações.

    O sistema é capaz de obliterar um alvo com o disparo de três mísseis, sendo o primeiro utilizado diretamente para destruição e os dois restantes para fins de reconhecimento de alvos alternativos.

    Depois disso, os mísseis "recomendam aos controladores humanos que sejam reprogramados para esses alvos, e um humano poderia aprovar ou rejeitar a ação", segundo o artigo publicado.

    O material indica que o sistema deve reduzir o custo das munições guiadas, aumentar o número de alvos inimigos atingidos e "reduzir os esforços inimigos para enganar os ataques com mísseis".

    Várias armas avançadas devem ser melhoradas para trabalhar com o Golden Horde, incluindo as bombas de pequeno diâmetro SDB I e II, o míssil de cruzeiro ar-superfície JASSM e a Isca Miniatura de Lançamento Aéreo (MALD).

    ​Uma Isca Miniatura de Interferência de Lançamento Aéreo [MALD] está pronta para ser lançada na asa de um F-16 Fighting Falcon sobre o golfo do México. MALD é um veículo programável de lançamento aéreo que duplica os perfis e assinaturas de voo de combate de aeronaves americanas e aliadas

    O nome de código Golden Horde é "uma estranha escolha para um programa de armas da Força Aérea", dado que era o nome do braço ocidental do Império Mongol que governava os povos eslavos entre os anos de 1240 e 1480, escreve a Popular Mechanics, acrescentando que "em outras palavras, era uma entidade política".

    OTAN classifica de novo a Rússia como sua principal ameaça

    A reportagem da revista se seguiu à declaração do secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, em que ele voltou a apelidar a Rússia de principal ameaça à aliança, acusando Moscou de se tornar mais assertiva, de investir ativamente na criação de armas nucleares e de violar o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), que foi oficialmente abandonado em 2 de agosto.

    A Rússia insiste em que as alegações são infundadas e acusa os EUA de violarem o tratado ao implantarem sistemas de defesa na Europa com lançadores capazes de disparar mísseis de cruzeiro com alcances proibidos pelo acordo.

    Tudo isso acontece em meio à contínua expansão da OTAN para o leste, que foi anteriormente descrita pelo presidente russo Vladimir Putin como uma relíquia da Guerra Fria, bem como uma estratégia militar e política errônea e destrutiva.

    Tags:
    armamento, Força Aérea dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar