02:59 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Dois A-29 Super Tucano na base aérea de Hamat, norte do Líbano, terça-feira, 31 de outubro de 2017 (AP Photo/Hussein Malla)

    Exportações do Brasil na área de defesa podem chegar a R$ 1,5 bilhão este ano, diz ministério

    © AP Photo / Hussein Malla
    Defesa
    URL curta
    7145
    Nos siga no

    Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Defesa, as exportações produtos de defesa brasileiros que nos últimos anos alcançou R$ 900 milhões está próxima de atingir R$ 1,5 bilhão este ano.

    O secretário de produtos de Defesa do Ministério da Defesa, Marcos Degaut Pontes, disse que a projeção é de que até 2022 as exportações brasileiras no setor pode chegar a R$ 6 bilhões.

    A produção brasileira nesta área passa por aviões de treinamento até aviões de ataque leve, sistema de controle de tráfego aéreo e sistema de defesa.

    Segundo o secretário, em cada R$1 investido nessa indústria o retorno é de quase R$10.

    "É importante que se discuta esse setor. Que se entenda a importância da economia de defesa para a economia nacional e para o comércio exterior brasileiro. O efeito multiplicador é de 1 para 9,8, ou seja, cada real investido na base industrial de defesa gera em retorno R$ 9,8. Não existe nenhum outro setor com esta rentabilidade", disse, citado pela Agência Brasil.

    O Ministério da Defesa tem trabalhado junto a a atores privados, como a Associação Brasileira de Materiais Bélicos e o Sindicato de Materiais de Produtos de Defesa.

    Marcos Degaut Pontes participou do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex) 2019, no Centro de Convenções Sul América, na região central do Rio de Janeiro.

    Mais:

    Governo brasileiro diz que status de aliado extra-OTAN dos EUA beneficia indústria da defesa
    Especialista explica por que o Super Tucano é o avião ideal para combater o Boko Haram
    C-390 Millennium é 'versão básica' do KC-390, diz especialista
    Tags:
    Brasil, indústria de defesa, exportações, Ministério da Defesa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar