11:22 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Uma aeronave e veículos militares do Exército de Libertação Popular da China passam pela praça de Tianamen

    Como Força Aérea da China poderia se tornar 'protagonista global'?

    © REUTERS / Xinhua/Yao Dawei
    Defesa
    URL curta
    4181
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (9), quando se celebra o aniversário da fundação da Força Aérea do Exército Popular de Liberação da China, o presidente Xi Jinping pediu esforços para transformar esta força em um protagonista global, relata a agência de notícias Xinhua.

    A Força Aérea receberá gradualmente mais caças furtivos J-20 e aeronaves de transporte pesadas Y-20, assim como bombardeiros H-20 em um futuro próximo, para atender o objetivo de transformar a Força em um protagonista global, preveem especialistas consultados pelo jornal Global Times.

    Um vídeo divulgado pela Força Aérea da China demonstra avançados equipamentos de combate, incluindo caças J-20 e J-16, o bombardeiro estratégico H-6N, o avião de transporte Y-20, o sistema de alerta aéreo antecipado KJ-2000 e o sistema de mísseis terra-ar HQ-9.

    ​70º aniversário Força Aérea do Exército Popular de Liberação! Veja os caças furtivos, incluindo o J-20, Y-20, H-6K, H-6N, KJ-500, e conheça os avanços da Força Aérea da China em sete décadas.

    Comparado a 70 anos atrás, quando as aeronaves precisavam sobrevoar a praça Tiananmen duas vezes na cerimônia de fundação da República Popular da China para provar que a China possuía uma forte capacidade aérea, o novo vídeo mostrou no que a Força Aérea do país se tornou hoje, observam analistas militares.

    ​Hoje, 11 de novembro, marca os 70 anos de criação da Força Aérea do Exército Popular de Liberação da China, que cresceu de uma força com pouco mais que uma aeronave para uma Força Aérea completamente equipada com aeronaves de fabricação própria. Feliz 70º aniversário Força Aérea do Exército Popular de Liberação!

    Agora a China tem aviões-tanque, aviões de guerra eletrônica, aeronaves de reconhecimento. Seus caças de combate evoluíram da primeira para a quinta geração, comentou Fu Qianshao, especialista chinês em defesa aérea, ao Global Times, observando que isso demonstra que a Força Aérea tem uma variedade maior de aeronaves com as tecnologias mais avançadas.

    Um oficial superior da Força Aérea da China disse, em novembro de 2018, que o primeiro passo é, em torno de 2020, construir uma força estratégica que integre aviação e poder espacial, além das capacidades de ataque e defesa. Desta forma, as capacidades estratégicas aumentarão em torno de 2035, com a Força Aérea se transformando completamente em uma força de primeira classe em meados do atual século, informa a Xinhua.

    Para alcançar esta meta, serão gradualmente incluídas aeronaves mais avançadas como os caças J-20 e Y-20, relatou um especialista militar anônimo ao Global Times, salientando que novas versões de aviões serão desenvolvidas para manter a Força Aérea tecnologicamente avançada e completada.

    Caça furtivo chinês J-20
    Caça furtivo chinês J-20

    O H-20, atualmente em desenvolvimento e que antecipa estrategicamente o bombardeiro furtivo norte-americano B-2, preencherá este espaço, prevê o especialista. Ele salienta que o Y-20 poderia ter uma versão avião-tanque para que a China possua seu primeiro avião deste tipo desenvolvido localmente.

    Também pode surgir o desenvolvimento de mais drones, conclui o analista. A China já opera aviões não tripulados como o GJ-2 de reconhecimento armado, GJ-11 de ataque furtivo, e WZ-8 de alta altitude e rápido reconhecimento.

    O analista acrescenta que também é fundamental dar atenção a exercícios militares próximos de campos de batalha reais, incrementando as capacidades de combate da aviação.

    Mais:

    China desenvolve drones 'indestrutíveis', segundo mídia (FOTO)
    OTAN poderia sofrer consequências por considerar China inimiga, segundo analista
    Bombardeiro chinês pode ter alcance de 6 mil km com arsenal supersônico
    Tags:
    Força Aérea, Defesa, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar