13:51 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA

    Micróbios militarizados? Pentágono está criando bactérias para detectar explosivos no subsolo

    © Sputnik / David B. Gleason
    Defesa
    URL curta
    202
    Nos siga no

    O Pentágono se uniu à empreiteira de defesa Raytheon com o intuito de desenvolver um sistema capaz de produzir bactérias geneticamente modificadas no subsolo.

    O objetivo do projeto, iniciado pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA), é "programar duas cepas bacterianas para monitorar superfícies terrestres de materiais explosivos", disse a Raytheon em um comunicado de imprensa conjunto com o Instituto Politécnico de Worcester (EUA).

    Anteriormente, a DARPA já havia liderado programas para criar supersoldados telecinéticos e insetos robóticos armados.

    A primeira das duas cepas bacterianas, conhecida como biossensor, "detectará a presença ou ausência de explosivos enterrados no subsolo", enquanto a segunda produzirá uma "luz incandescente" caso esses materiais sejam encontrados.

    Arma biológica?

    Câmeras ou drones operados remotamente seriam então enviados para inspecionar a área em busca de germes brilhantes e, finalmente, os explosivos enterrados.

    "Já sabemos que algumas bactérias podem ser programadas para serem muito boas na detecção de explosivos, mas é mais difícil no subsolo", disse a pesquisadora da Raytheon, Allison Taggart.

    Estamos investigando como transportar a bactéria citada até a profundidade necessária no subsolo.

    Embora a iniciativa seja supostamente destinada a detectar dispositivos explosivos improvisados enterrados em zonas de guerra estrangeiras, Taggart não escondeu que o "design modular" do sistema de entrega de bactérias e os "componentes" intercambiáveis no interior permitem outras aplicações "conforme necessário".

    Bactéria
    © CC BY 2.0 / Oak Ridge National Laboratory
    Bactéria

    A sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos afirma que só planeja usar o sistema para fins "defensivos", mas há quem acredite que a ideia de micróbios militarizados seja arriscada, podendo gerar cenários apocalípticos envolvendo uma superbactéria geneticamente modificada.

    Mais:

    Opinião: programa dos EUA para criar 'supersoldado' é uma ilusão
    Pentágono teria utilizado carrapatos como arma biológica, diz político norte-americano
    Cientistas alertam que EUA podem usar pesquisa sobre insetos para produzir arma biológica
    Tags:
    bioguerra, micróbios, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA), bactérias, Pentágono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar