07:02 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA (foto de arquivo)

    B-52 dos EUA e caças da Arábia Saudita fazem voo baixo em exercício no país árabe (VÍDEO)

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Defesa
    URL curta
    236
    Nos siga no

    Pelo menos um B-52H Stratofortress da Força Aérea dos EUA e quatro F-15C Eagle sauditas realizaram manobras conjuntas sobre a base aérea Prince Sultan no país árabe.

    O exercício incluiu um voo baixo sobre a base aérea saudita Prince Sultan, a qual recebeu ainda neste mês bombardeiros B-1B, capazes de carregar e lançar munições nucleares, assim como o B-52H.

    De acordo com o Comando Central da Força Aérea dos Estados Unidos, a aeronave que participou do exercício com quatro caças F-15C Eagle sauditas faz parte de uma força-tarefa de bombardeiros atuando fora do escopo das zonas militares dos EUA na Europa e África, conforme publicou a revista militar americana Defence Blog.

    Dissuasão: Um B-52H Stratofortress da Força Aérea dos EUA, acompanhado de quatro F-15C Eagle sauditas, conduzem um voo baixo sobre a base aérea Prince Sultan, Arábia Saudita, 1º de novembro de 2019. O B-52H, destacado da base aérea de Barksdale, Louisiana, é parte de uma força-tarefa de bombardeiros.

    Cooperação militar

    Os Estados Unidos e a Arábia Saudita possuem uma histórica cooperação no setor de defesa.

    De acordo com o site MilitaryBases.com, Washington possui pelos menos cinco bases militares no país árabe.

    Além de sua presença, os EUA fornecem armamentos para seu aliado, realizam exercícios conjuntos e já combateram inimigos comuns, como o Iraque durante a Guerra do Golfo.

    Mais:

    Arábia Saudita anuncia pela 1ª vez venda de ações ao público da petroleira Aramco
    Fora do prazo: EUA duvidam do novíssimo bombardeiro B-21
    Fragmento de bombardeiro B-52 dos EUA cai em quintal de casa no Reino Unido (FOTO)
    Tags:
    Arábia Saudita, EUA, B-1B, bombardeiro nuclear, B-52H
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar