15:32 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de quatro mísseis a partir do submarino Yuri Dolgoruky da classe Borei

    Novo submarino russo Knyaz Vladimir lança míssil balístico Bulava pela 1ª vez (VÍDEO)

    © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia
    Defesa
    URL curta
    5330
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa da Rússia publicou o vídeo do lançamento de um míssil balístico Bulava, disparado pela primeira vez do novo submarino nuclear russo Knyaz Vladimir.

    O submarino, submerso no mar Branco, disparou o míssil intercontinental Bulava contra um alvo no polígono de Kura, na região russa de Kamchatka, no âmbito das recentes manobras.

    O Ministério da Defesa da Rússia destacou que o voo do míssil decorreu em regime normal, enquanto os sistemas de controle registaram que o alvo foi alcançado e eliminado.

    A filmagem mostra o momento do lançamento do míssil e sua trajetória de voo.

    De acordo com o programa estatal de armas da Rússia, o país prevê a construção de oito submarinos da classe Borei para a Marinha russa até 2020.

    Frota de submersíveis

    Três submarinos nucleares já foram construídos e juntaram-se à frota. Trata-se dos submarinos Yuri Dolgoruky, Aleksandr Nevsky e Vladimir Monomakh, enquanto o quarto, Knyaz Vladimir, está passando por provas no mar.

    Estes navios medem 170 metros de comprimento, têm um deslocamento de 24.000 toneladas e podem transportar até 16 mísseis balísticos intercontinentais Bulava, com um alcance de até 8.000 quilômetros.

    As velocidades de superfície e imersão desses submarinos atingem 15 e 29 nós (28 km/h e 54 km/h), respectivamente.

    Mais:

    Veja VÍDEO do lançamento de míssil balístico russo durante exercícios
    Defesa da Rússia: teste de lançamento de míssil balístico intercontinental sai em VÍDEO
    Publicado VÍDEO do 1º lançamento do míssil russo Uran contra alvo flutuante
    Tags:
    lançamento de foguetes, mar Branco, Knyaz Vladimir, Bulava, Ministério da Defesa da Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar