07:59 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados do Exército dos EUA (arquivo)

    EUA perdem primazia militar no Indo-Pacífico

    CC BY 2.0 / The U.S. Army / U.S. Army Soldiers
    Defesa
    URL curta
    3152
    Nos siga no

    Washington perdeu a primazia militar no Indo-Pacífico, dizem os autores de um relatório publicado pelo Centro de Estudos sobre os Estados Unidos (USSC) da Universidade de Sydney, na Austrália.

    As guerras em curso no Oriente Médio, a austeridade orçamentária, o subinvestimento em capacidades militares avançadas e outros fatores, na opinião dos autores do estudo, deixam as forças armadas dos EUA pouco preparadas para a competição das grandes potências no Indo-Pacífico.

    "Os Estados Unidos possuem uma força em processo de atrofia que não está suficientemente preparada, equipada ou posicionada para uma grande competição por poder no Indo-Pacífico", escreveu o USSC.

    O relatório observa o crescente risco da China usar força para alcançar uma vitória no Indo-Pacífico antes que os EUA possam responder.

    "Apesar do Pentágono tentar se concentrar nesses desafios, uma mentalidade antiquada de superpotência no setor de política externa poderia limitar a capacidade de Washington de reduzir outros compromissos globais ou de realizar as contrapartidas estratégicas necessárias para ter sucesso no Indo-Pacífico", adverte o documento.

    Especialistas do USSC acreditam que o orçamento de defesa dos EUA, em função das dificuldades financeiras, bem como do partidarismo e da polarização ideológica, provavelmente não será capaz de cobrir as necessidades da Estratégia Nacional de Defesa na próxima década.

    Mais:

    China responde aos EUA: é absolutamente claro quem mina estabilidade na Ásia-Pacífico
    Encontrado submarino dos EUA sumido há quase 80 anos no Pacífico
    China desestabiliza o Indo-Pacífico com comportamento 'agressivo', diz secretário de Defesa dos EUA
    Tags:
    estudo, Austrália, Ásia-Pacífico, Oceano Índico, presença militar, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar