12:13 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    8263
    Nos siga no

    Somente dois dos onze elevadores de armas estão operando no navio mais caro da Marinha dos EUA – o porta-aviões de última geração USS Gerald R. Ford, cujo preço é estimado em US$ 13 bilhões (R$ 50 bilhões), informa política americana.

    Nas condições em que se encontra, "o navio não pode ser utilizado" e a solução de seus problemas será um processo demorado, afirmou à Bloomberg a congressista americana Elaine Luria, que foi oficial da Marinha dos EUA por 20 anos.

    Em 31 de julho, o presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado americano, James Inhofe, também criticou o porta-aviões durante a audiência sobre operações navais.

    "O navio foi aceito pela Marinha incompleto, quase dois anos atrasado, com 2,5 bilhões de dólares acima do orçamento e 9 dos 11 elevadores ainda não funcionam, enquanto os custos continuam crescendo", disse Inhofe, citado pelo portal Task e Puprose.

    Inhofe explicou que as novas tecnologias, como "o novo radar, catapulta, cabo de parada e elevadores de armas", que seriam incorporadas ao USS Gerald R. Ford, "foram pouco testadas e nunca foram integradas ao navio" e que a Marinha americana aceitou o acordo "sem entender nem o risco técnico, nem o custo, nem o prazo".

    Série de falhas

    O porta-voz da empresa Huntington Ingalls (fabricante do navio), Beci Brenton, disse que sua empresa "continuará a trabalhar com seus parceiros da Marinha para resolver os problemas".

    Brenton afirma que a companhia "está comprometida" em "testar, certificar e entregar" os 11 elevadores "com segurança e eficiência".

    No entanto, o problema de operação dos elevadores não é o único que o USS Gerald R. Ford tem.

    USS Gerard R. Ford, momentos antes da visita do presidente dos EUA, Donald Trump
    © AFP 2020 / SAUL LOEB
    USS Gerard R. Ford, momentos antes da visita do presidente dos EUA, Donald Trump

    Em fevereiro, foi anunciado que o navio de guerra registou 20 falhas durante os testes no mar de decolagem e aterrissagem de aeronaves, além de ser incompatível com os caças furtivos americanos Lockheed Martin F-35, segundo a Business Insider.

    Mais:

    Novos porta-aviões americanos mostram incompatibilidade com caças F-35
    Redução de custos: Trump pretende utilizar catapulta a vapor em porta-aviões dos EUA
    Pentágono considera enviar porta-aviões e caças ao estreito de Ormuz
    Tags:
    Marinha dos EUA, USS Gerald R.Ford, porta-aviões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar