18:27 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sistema Integrado Ligeiro de Defesa Aérea Marítima (LMADIS)

    EUA teriam usado novo sistema de arma eletrônica no suposto abate de drone do Irã (FOTOS)

    © Foto / Lance Cpl. Dalton Swanbeck
    Defesa
    URL curta
    1089
    Nos siga no

    A Marinha dos EUA introduziu recentemente um sistema móvel antidrones que foi visto dias antes do ataque que derrubou um drone iraniano.

    O drone iraniano que os EUA alegam ter destruído no estreito de Ormuz foi abatido com uma nova arma de guerra eletrônica implantada este ano nos navios utilizados no Oriente Médio, segundo autoridades citadas pelo portal Military.

    Apesar das suposições, o ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, disse que Teerã não teve nenhuma informação sobre a perda de um drone na quinta-feira (18).

    O representante das Forças Armadas do Irã, Abolfazl Shekarchi, afirmou nesta sexta-feira (19) que "todos os drones pertencentes ao Irã que estavam realizando tarefas de reconhecimento e controle no golfo Pérsico e no estreito de Ormuz voltaram intactos às suas bases".

    De acordo com o portal, o navio de desembarque USS Boxer da Marinha dos EUA foi equipado com o Sistema Integrado Ligeiro de Defesa Aérea Marítima (LMADIS).

    ​Fuzileiros dos EUA a bordo do USS Boxer usaram este novo dispositivo de interferência antidrone chamado Sistema Integrado Ligeiro de Defesa Aérea Marítima (LMADIS) para abater o drone iraniano no estreito de Ormuz hoje, segundo as autoridades. Implantado pela primeira vez em janeiro a bordo do USS Kearsarge, pertencente à mesma classe de navios de guerra que o Boxer

    O Pentágano alega que foi esta arma que teria abatido o veículo não tripulado iraniano na quinta-feira como parte de uma ação defensiva depois que a aeronave se aproximou a uma "distância ameaçadora". A mídia explica que o dispositivo combina tecnologias óticas e eletrônicas com funções de radar para detectar, identificar e eliminar drones inimigos.

    ​Ontem o LMADIS derrubou um drone iraniano hostil que ameaçou um navio de guerra dos EUA no estreito de Ormuz. Aqui está o que você precisa saber

    Uma publicação no The Drive afirma que o drone iraniano poderia ter sido identificado pelo LMADIS e depois atacado por uma equipe de guerra eletrônica americana, que teria emitido interferências para cortar as comunicações entre a aeronave e Teerã e, consequentemente, causado seu colapso.

    O LMADIS consiste em quatro dispositivos circulares que compõem o radar RPS-42, que, juntamente com um complexo de câmeras e sensores CM202A, são responsáveis pela detecção de pequenos e médios objetos voadores e sua classificação em tempo real como inofensivos ou hostis.

    Tensões entre Teerã e Washington

    Neste mês, surgiram notícias sobre a tentativa de bloqueio por militares iranianos de um navio britânico no estreito de Ormuz, tendo como pano de fundo o arresto de um petroleiro iraniano perto de Gibraltar. O Irã negou essas alegações.

    A situação no golfo Pérsico e nas zonas circundantes deteriorou-se acentuadamente nos últimos meses. No vizinho golfo de Omã, dois petroleiros, o Front Altair e o Kokuka Courageous, foram atacados em meados de junho.

    Segundo relatos, e sem confirmação oficial do caso, minas magnéticas teriam sido fixadas ao casco dos navios-tanque e detonadas, resultando em explosões e incêndios nas embarcações. Teerã rejeita a implicação no incidente.

    Após o ataque aos navios, ocorreu outro incidente: militares iranianos comunicaram o abate de um drone de vigilância RQ-4 Global Hawk americano depois de este ter violado o espaço aéreo do Irã. O Comando Central dos EUA (CENTCOM) confirmou que um drone da Marinha dos EUA foi abatido sobre o estreito de Ormuz no espaço aéreo internacional.

    Mais:

    Irã nega tentar deter petroleiro britânico no golfo Pérsico
    Forças iranianas são reforçadas com novos drones de precisão, segundo mídia (FOTOS)
    Trump diz que navio de guerra dos EUA destruiu drone do Irã no Estreito de Ormuz
    Tags:
    Marinha dos EUA, Irã, sistema de defesa antidrones, guerra eletrônica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar