02:48 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenbeg, chefiando reunião dos ministros da Defesa dos países-membros da aliança em Bruxelas (arquivo)

    Chefe da OTAN alerta para 'mundo com mais mísseis russos'

    © REUTERS / Francois Lenoir
    Defesa
    URL curta
    19117

    O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, afirmou que a aliança deve se preparar para um mundo sem o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, conhecido como Tratado INF, e com "mais mísseis russos".

    Segundo o líder da aliança, Moscou não teria dado qualquer sinal sobre uma possível mudança de posição em relação a esse tratado internacional, responsável por impor limites às armas nucleares armazenadas por Rússia e Estados Unidos desde o final da Guerra Fria. Embora os EUA tenham sido os primeiros a suspender a parceria, o Ocidente culpa o Kremlin pelo fim do INF. 

    "Portanto, temos que estar preparados para um mundo sem o Tratado INF e com mais mísseis russos", disse Stoltenberg, citado pela BBC. 

    ​No início deste ano, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou o seu país do tratado da era soviética que proibia mísseis nucleares terrestres com um alcance de 500 a 5.000 quilômetros alegando que o míssil russo 9M729 havia violado os termos do INF. Moscou, no entanto, afirma que o 9M729 tem um alcance máximo de 480 quilômetros e nega que tenha violado os termos do acordo, suspenso meses depois também pelo presidente russo, Vladimir Putin.

    Mais:

    Ex-inspetor de armas da ONU: Europa é tão culpada quanto EUA pelo declínio do Tratado INF
    Nova corrida armamentista à vista? Como ruptura do Tratado INF poderia afetar paz global
    Pentágono vai testar míssil de cruzeiro lançado do solo proibido pelo Tratado INF
    Fim do Tratado INF permite que Rússia desenvolva novas armas, afirma senadora
    Tags:
    BBC, Vladimir Putin, Donald Trump, armas nucleares, INF, Tratado INF, Organização do Tratado do Atlântico Norte, Jens Stoltenberg, Moscou, Washington, Estados Unidos, Rússia, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar