07:38 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Explosão nuclear (imagem de arquivo)

    Relatório do Pentágono expõe doutrina nuclear norte-americana

    © Depositphotos / Curraheeshutter
    Defesa
    URL curta
    727
    Nos siga no

    O Departamento de Defesa tornou público nas redes sua nova doutrina de operações nucleares dos EUA, mas, pouco tempo depois, o documento foi deletado do site.

    Os EUA consideram ser possível vencer uma guerra utilizando armamentos nucleares, é o que revela um documento publicado pelo Estado-Maior Conjunto dos EUA.

    A doutrina, intitulada "Operações Nucleares" ou JP 3-72, tem como objetivo proporcionar "princípios fundamentais e orientação para planejar, executar e avaliar as operações nucleares".

    "A utilização de armas nucleares poderia criar condições para resultados decisivos e o restabelecimento da estabilidade estratégica", indica o texto, ressaltando que a utilização do armamento "mudará o alcance de uma batalha e criará condições que afetarão a maneira em que os comandantes prevalecerão em um conflito".

    Um porta-voz das forças norte-americana afirmou ao The Guardian que a doutrina foi ocultada da página do Pentágono "porque foi determinado que a publicação, como é o caso de outras publicações do Estado-Maior Conjunto, deve ser apenas para uso oficial", sem esclarecer se a divulgação foi um erro ou uma mensagem a outros países.

    Lançamento de míssil Tomahawk (foto de arquivo)
    © AP Photo / Kenneth Moll
    Lançamento de míssil Tomahawk (foto de arquivo)

    O documento foi obtido a tempo e compartilhado por Steven Aftergood, diretor do Projeto sobre o Segredo Governamental da Federação dos Cientistas norte-americanos, que considera "inquietante" que a função do texto seja planejar os piores cenários nucleares sem formular políticas a respeito, indicando o documento como "uma doutrina de guerra".

    Vale destacar que os EUA abandonaram o histórico acordo nuclear de 2015 com o Irã, deixaram o Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermediário com a Rússia e não estão muito interessados em negociar a renovação do Tratado de Redução de Armas Estratégicas III, demonstrando que a administração do presidente norte-americano, Donald Trump parece pensar da mesma forma como exposta no relatório do Pentágono.

    Mais:

    Irã anuncia medidas para redução de compromissos no âmbito do acordo nuclear
    'Stripper nuclear' tira FOTOS de topless na zona de exclusão de Chernobyl
    Khamenei: se o Irã quisesse armas nucleares, os EUA não poderiam fazer nada a respeito
    Tags:
    guerra, arma nuclear, Pentágono, EUA, armamentos, equipamentos militares
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar