04:16 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Caça Su-30M2 (imagem referencial)

    Caças russos Su-27 e Su-30 mostram incríveis manobras aéreas (VÍDEO)

    © Sputnik / Aleksei Malgavko
    Defesa
    URL curta
    3151

    O Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo do voo dos caças russos Su-27SM3 e Su-30M2 a baixa altitude sobre as florestas e montanhas do Cáucaso (sul da Rússia).

    No comunicado do ministério lê-se que os tripulantes treinaram elementos de pilotagem complexa, direção dos caças a muito baixas altitudes (até 100 metros) e técnicas do combate aéreo em velocidade supersônica.

    Nas imagens é mostrado o processo de descolagem, o voo e o pouso, vistos da cabine do piloto. 

    Além disso, os tripulantes treinaram ataques contra alvos aéreos e terrestres, a técnica de escolta aérea bem como obrigaram uma aeronave de um inimigo hipotético a pousar.

    O Su-27 e o Su-30 são caças russos multifuncionais.

    O Su-27 foi colocado no serviço em 1984, sua modificação SM passou a ser produzida desde 2002 e tem sistemas de navegação, comunicação e pontaria atualizados.

    Atualmente, o Su-27 é um dos principais aviões de combate da Força Aeroespacial da Rússia, estando igualmente no serviço na Índia, China e diversas ex-repúblicas da União Soviética.

    O primeiro voo do Su-30 ocorreu em 1989. A aeronave se destina à neutralização de alvos aéreos em quaisquer condições meteorológicas, de dia e de noite. A modificação M2 é a versão aperfeiçoada do Su-30MK (modelo para a exportação). Hoje em dia, os Su-30 estão no serviço da Força Aérea da Índia, China, Vietnã e Venezuela.

    Mais:

    Caça Su-27 intercepta aviões espiões dos EUA e Suécia perto da fronteira russa (VÍDEO)
    Caça russo Su-27 intercepta avião de reconhecimento americano sobre mar Báltico (VÍDEO)
    Su-27 'afugentam' bombardeiro americano B-52H das fronteiras russas (VÍDEO)
    Tags:
    alvos, União Soviética, Venezuela, Vietnã, China, Índia, su-30, SU-27, caça, combate, treinamento, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar