19:33 25 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Radar (imagem referencial)

    Novo radar chinês não deixa nenhuma chance para caças F-35, segundo desenvolvedor

    CC0 / Pixabay
    Defesa
    URL curta
    14372

    Um novo radar que é capaz de detectar aeronaves furtivas está sendo elaborado na China, informou o Global Times.

    A mídia chinesa, citando uma entrevista do cientista líder do projeto e professor do Instituto de Tecnologia de Harbin, Liu Yongtan, à revista Naval and Merchant Ships, escreveu que o radar de ondas de alta frequência (HFSWR, na sigla em inglês) pode detectar aviões furtivos além do horizonte e em qualquer condições meteorológicas.

    Além disso, o novo radar tem proteção contra mísseis antirradiação, declarou o cientista chinês, ressaltou que esse tipo dos radares já existia algumas décadas atrás, estando, de fato, entre os mais antigos.

    Tais sistemas estavam sendo elaborados até 1950, mas naquela época o sistema Aéreo de Alerta e Controle (AWACS, na sigla em inglês) se tornou mais popular. O AWACS permitiu aos cientistas resolver os problemas que o HFSWR apresentava, principalmente, a falta de mobilidade e alta relação sinal-ruído, recordou a edição.

    Entretanto, Liu Yongtan afirmou que se conseguiu resolver todos esses problemas.

    Os jatos furtivos tais como norte-americanos F-35, F-22 ou chineses J-20 e J-31 foram projetados para não serem detectados pelos radares que usam micro-ondas, mas eles não têm proteção contra radares de ondas longas. Essa mesma propriedade também protege as estações de radar contra mísseis antirradiação, que são projetados para conter as emissões dos radares e destruí-los, explicou o cientista.

    Um traço distintivo do HFSWR é a utilização de ondas longas, com o comprimento de um metro, em vez de micro-ondas. As ondas longas podem seguir a curvatura da superfície da Terra, sendo mais eficazes para detectar objetos além do horizonte, revela Liu Yongtan.

    O AWACS possui algumas limitações. Para dar uma ideia dos limites do AWACS, um radar montado no topo de um poste de 10 metros de altura tem um alcance de "visão" de apenas 13,4 km - é por isso que os militares começaram a utilizar aviões AWACS, como o E-3 Sentry e o Beriev A-50: um radar colocado a grande altitude no céu terá um alcance muito maior.

    Atualmente, o HFSWR só pode ser operado a partir de estações terrestres, onde os sistemas são capazes de monitorar grandes áreas do espaço com suas antenas receptoras, devido ao grande comprimento das ondas e ao correspondente longo alcance do radar, escreveu a mídia.

    O principal ponto negativo dos antigos sistemas HFSWR era que eles podiam determinar só a direção geral de voo dos objetos, não a sua localização exata. Liu Yongtan afirmou que havia conseguido ultrapassar esta dificuldade.

    Vale ressaltar que Liu Yongtan recebeu o prêmio científico mais importante da China, diretamente das mãos do presidente chinês, Xi Jinping.

    Mais:

    Estados Unidos vendem armas para sauditas para 'prevenir que China e Rússia ocupem este vácuo'
    Análise: Type 002 da China pode se tornar primeiro superporta-aviões fora do Ocidente
    EUA pretendem frear desenvolvimento militar chinês com caças F-35, segundo general
    Tags:
    radar, AWACS, A-50, J-20, F-22, F-35, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar