20:00 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro caça Gripen E brasileiro fará o seu voo inaugural ainda em 2019 na Suécia

    Brasil pode financiar fabricação de mísseis sul-africanos para novos caças Gripen

    © Foto : Divulgação / Força Aérea Brasileira
    Defesa
    URL curta
    475

    Ministro da Defesa do Brasil, Fernando Azevedo, foi à África do Sul para reforçar a relação com o grupo Denel Dynamics, que o convidou para conhecer sua linha de mísseis, incluindo o A-Darter, o Umkhonto e o Marlin.

    Segundo o CEO do grupo Denel, Danie du Toit, a empresa pretende continuar a cooperação com o Brasil, além de reforçar os laços existentes entre os dois países.

    Durante o encontro, Japie Mare, gerente do programa A-Darter, fez uma apresentação completa sobre o programa, inclusive mostrando seu sucesso e a futura divisão de trabalho entre a Denel e a indústria brasileira.

    Vale destacar que o projeto A-Darter teve início em 1995, mas foi interrompido devido aos cortes de financiamento, sendo retomado apenas em 2006, quando o Brasil aderiu ao programa, segundo o portal Defence Web.

    Com isso, os testes dos mísseis A-Darter tiveram início em 2010, tendo sido estabelecida uma linha de produção em 2018, contribuindo para sua industrialização e fabricação. Uma prova disso foi o acordo firmado entre a Força Aérea sul-africana e a Denel em 2015. Os primeiros mísseis devem ser entregues até 2021.

    Os mísseis A-Darter deverão ser transportados pelos caças Gripen C/D da Força Aérea sul-africana e pelos 36 novos caças Gripen E/F da Força Aérea brasileira.

    Aeronáutica cobra do governo mais recursos para a FAB
    Agência Aérea/Sgt. Batista/Fotos Públicas

    Além disso, o encontro serviu para discutir sobre o futuro dos mísseis além do alcance visual Marlin, já que ambos os países possuem interesse em uma possível colaboração.

    O representante sul-africano também confirmou o interesse em desenvolver os mísseis terra-ar Umkhonto para uma versão ar-ar, podendo mais tarde a Força Aérea brasileira integrá-los em seus novos caças Gripen.

    "Há um desejo real em continuar com o relacionamento que foi estabelecido no decorrer de muitos anos e explorar futuras oportunidades. Há uma exigência dos dois países para desenvolver capacidades e compartilhar o trabalho entre as duas indústrias", afirmou a Denel.

    Essa contribuição implicaria o financiamento do Ministério da Defesa do Brasil e do Departamento de Defesa da África do Sul para prosseguir com o desenvolvimento dos mísseis Umkhonto e Marlin.

    Por sua vez, o ministro Azevedo informou a delegação da Denel sobre o novo cenário político no Brasil com um presidente com formação militar. Além disso, enfatizou que o Brasil é um vasto país e precisa reforçar suas capacidades para melhor proteger o espaço aéreo, que deve ser controlado 24 horas por dia, e que por isso compareceu ao local com o objetivo de explorar novas oportunidades, inclusive de colaboração em tecnologias terra-ar.

    Mais:

    Gripen E vs Su-57: mídia sueca analisa qual é melhor (VÍDEOS)
    Comandante da Força Aérea sueca rotula Gripen E de 'assassino' de caças russos
    Caça sueco JAS 39 Gripen é 'derrubado' por pássaro
    Tags:
    Força Aérea, ministro, Defesa, avião de combate, avião de ataque, míssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar