19:43 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiros estratégicos russos Tu-95MS

    Mídia dos EUA: 'Rússia persegue aviões estadunidenses no Ártico'

    © Sputnik / Anton Denisov
    Defesa
    URL curta
    15493
    Nos siga no

    Os jornalistas da edição americana NBC News asseguram que "a Rússia persegue os aviões estadunidenses no Ártico". Segundo a mídia, isso faz parte do "jogo do [presidente russo Vladimir] Putin" que visa mostrar que a Rússia é capaz de competir com Washington no Ártico.

    Os jornalistas observam que cada vez mais pilotos americanos no Alasca são forçados a acordar da manhã e embarcar em caças F-22 em sua base em Anchorage para manter os aviões russos fora do espaço aéreo dos EUA.

    "As patrulhas dos bombardeiros [russos] fazem parte dos esforços de Moscou para demonstrar que tem tanto capacidade operacional como intenção estratégica de competir no Ártico", afirmam os jornalistas. Ao mesmo tempo, segundo o jornal, a Rússia quer transmitir o sinal de que continua sendo "o concorrente estratégico de Washington" e "tem capacidade de atacar o território dos EUA e prejudicar os interesses" do país.

    Segundo os autores do artigo, os EUA e outros países do Ártico "devem ensinar à Rússia os limites de um comportamento aceitável", em particular, realizar manobras conjuntas e cooperar na exploração aérea e marítima.

    "Na ausência de tais ações coletivas proativas e demonstrativas, é provável que a Rússia continue a violar as normas internacionais no Ártico em uma tentativa de mudar o equilíbrio de forças a seu favor", alertam.

    No entanto, o Ministério da Defesa da Rússia declarou repetidamente que os aviões estratégicos Tu-95MS da Força Aeroespacial da Rússia fazem voos em estrita conformidade com as normas internacionais de uso do espaço aéreo, sem violar as fronteiras de outros Estados.

    Conforme indicam os responsáveis militares russos, estes são voos de rotina no espaço aéreo sobre as águas internacionais dos mares de Chukotka, de Bering e de Okhotsk, bem como ao longo da costa oeste do Alasca e da costa norte das Ilhas Aleutas.

    Ao mesmo tempo, vale destacar que os próprios repórteres da NBC News admitem que a inteligência dos EUA também envia aviões para fazer voos perto do território russo para coletar dados e estudar procedimentos de controle operacional. Em particular, aviões de espionagem dos EUA intensificaram os voos perto da costa da Crimeia e no Extremo Oriente.

    Mais:

    Analista esclarece 3 razões que impulsionam desejo dos EUA de ganhar força no Ártico
    EUA pretendem fortalecer liderança no Ártico e desafiar influência da China e Rússia na região
    Tags:
    voo, interesse nacional, aviões, bombardeiros, caças, F-22, Tu-95MS, Ministério da Defesa, Vladimir Putin, Alasca, Ártico, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar