03:23 17 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Sede do Pentágono em Washington, EUA

    Mídia: EUA querem que países 'se livrem' de armamento russo e chinês e optem pelo americano

    © AFP 2019 / STAFF
    Defesa
    URL curta
    19214

    O programa, que foi alegadamente lançado no ano passado, já fez com que o Departamento do Estado dos EUA alocasse US$ 190 milhões para a entrega de equipamento militar de fabrico americano para 6 países, incluindo Albânia, Croácia, Grécia e Eslováquia.

    O Departamento do Estado planeja expandir o seu chamado Programa Europeu de Incentivo à Recapitalização, que implica que Washington ofereça dinheiro a países da Europa de Leste para que eles comprem armamento americano e desistam das armas de fabrico russo e chinês, segundo o portal Defense One.

    O site cita uma fonte não identificada do Departamento do Estado que informou que Washington quer que o programa, que já existe há um ano, abranja todo o mundo e ajude os parceiros dos EUA a "se livrarem ou permanecerem afastados do equipamento militar russo e chinês".

    Não tendo os países de fora da Europa ainda sido identificados pelo Departamento do Estado, acredita-se que se trata de países da Ásia Central, Sudeste Asiático e África.

    De acordo com a fonte, o programa obriga os países a se desfazerem de armas chinesas e russas, darem garantias não comprar armas dos referidos países e destinar alguns dos seus próprios recursos para compra de armas americanas.

    Se um país continuar a comprar peças para helicópteros soviéticos e veículos de combate de infantaria, os EUA podem impor sanções.

    O objetivo é "incentivar parceiros e aliados para que usem seus próprios fundos para modernização do seu equipamento militar e se desfaçam do equipamento russo. A ideia é que nós podemos conceder assistência militar. E eles depois usam alguma quantidade [de fundos] de parceria militar", disse o oficial.

    No âmbito do programa que foi revelado em 2018, o Departamento do Estado já decidiu alocar US$ 190 milhões na implementação do projeto em seis países – Albânia, Bósnia, Croácia, Grécia, Macedônia do Norte, e Eslováquia.

    Espera-se que estes países sigam em frente na compra de helicópteros e veículos de combate de infantaria de fabrico americano durante os próximos anos.

    Mais:

    EUA não querem competir com novas armas da Rússia, mas não descartam usar armas nucleares
    Pentágono: Rússia e China podem ultrapassar EUA no espaço
    Tags:
    armamento, Rússia, China, EUA, Pentágono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar