10:45 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil balístico Minuteman III (imagem referencial)

    EUA testam míssil balístico intercontinental Minuteman III

    © AP Photo / Base Vandenberg
    Defesa
    URL curta
    544

    Os EUA realizaram na quinta-feira (9) mais um lançamento do míssil balístico intercontinental Minuteman III, de acordo com um comunicado da base aérea de Vandenberg.

    Refere-se que o míssil balístico intercontinental foi lançado sem ogiva a partir da base de Vandenberg localizada no estado de Califórnia. O teste anterior foi realizado no dia 1º de maio.

    "O lançamento de dois mísseis balísticos intercontinentais Minuteman III com a diferença de uma semana é uma verdadeira prova das capacidades da base de Vandenberg", diz o comunicado em conexão com este teste.

    Os EUA realizam regularmente lançamentos de teste do míssil balístico intercontinental Minuteman III. Em fevereiro também foi realizado um teste, outro teste falhado de um Minuteman III foi relatado no terceiro trimestre de 2018.

    Os mísseis balísticos intercontinentais de três estágios de baseamento em terra da família Minuteman foram originalmente projetados para dissuasão nuclear durante a Guerra Fria com a URSS. O Minuteman III é agora o único míssil balístico intercontinental terrestre em serviço dos EUA.

    De acordo com os últimos dados de fontes abertas, os EUA possuem 450 mísseis Minuteman III, que permanecerão em serviço pelo menos até 2020. Os Minuteman III estão em serviço no Exército dos EUA desde 1970 e sua produção foi interrompida no final de 1978. O míssil é capaz de atingir alvos em um raio de 12 mil quilómetros.

    Mais:

    EUA testam arma hipersônica 'capaz de atacar qualquer lugar da Terra em uma hora'
    Fiquem bem longe do Alasca: EUA testam sistema THAAD
    Preparação para guerra: EUA testam defesa contra mísseis balísticos intercontinentais
    Tags:
    mísseis balísticos, teste, lançamento, Minuteman III, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar