10:39 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Caça F-35

    Lockheed Martin baixa preço do F-35A perante concorrência da Boeing

    CC0 / Pixabay
    Defesa
    URL curta
    522
    Nos siga no

    O valor dos caças furtivos, que em setembro Washington pagou US$ 89,5 milhões, foi reduzido para aproximadamente US$ 80 milhões.

    A empresa Lockheed Martin decidiu reduzir mais de 10% do valor de seus caças F-35A, com o objetivo de vencer a concorrência da Boeing por um contrato com as Forças Armadas dos EUA, segundo citação do porta-voz da empresa, Mike Friedman, ao portal Defence One.

    É suposto que a Lockheed Martin tenha a intenção de vender 100 caças F-35A ao Pentágono. O atual preço por unidade é de aproximadamente US$ 80 milhões, enquanto que em setembro Washington pagou aproximadamente US$ 89,5 milhões por cada caça comprado.

    "À medida que elevamos a produção, temos reduzido anualmente o valor e os intervalos de construção, melhorando a qualidade e o tempo de entrega", afirmou Friedman.

    O portal indica que a venda de F-35A para a Força Aérea dos EUA é parte de um grande acordo que inclui aeronaves F-35B para a Marinha e F-35C para o Exército, bem como diversas versões dos caças para os aliados dos EUA.

    A proposta da Lockheed Martin surgiu no momento em que Washington, pela primeira vez em décadas, avalia comprar os modernos caças táticos F-15 Eagle, da Boeing, ao invés dos caças F-35.

    Dessa maneira, o Pentágono planeja substituir os obsoletos F-15, que as forças norte-americanas utilizam.

    Apesar dos recursos e da capacidade de evitar ser detectado pelos radares, o caça F-35 continua sendo muito criticado por falhas e problemas técnicos.

    Mais:

    F-35 não impressiona pilotos americanos, que continuam optando pelo F-22, diz mídia
    EUA pretendem frear desenvolvimento militar chinês com caças F-35, segundo general
    Rússia poderá vender caças Su-57 para Turquia, se EUA não quiserem mais vender seus F-35
    Tags:
    caças, avião de assalto, avião de combate, avião mlitar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar