17:34 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Navio hidrográfico da Marinha britânica HMS Echo

    Analista explica objetivo da entrada de navio britânico em porto ucraniano

    © Foto : Chris Wenham/Ministério da Defesa
    Defesa
    URL curta
    217

    O navio hidrográfico Echo da Marinha Real britânica entrou no porto de Odessa, segundo informou o serviço de imprensa da Marinha da Ucrânia. O especialista militar Aleksei Leonkov explicou o que significa, neste caso, a designação "hidrográfico".

    O diretor comercial da revista Arsenal Otechestva (Arsenal da Pátria), Aleksei Leonkov, em entrevista ao serviço russo da Radio Sputnik, nota que este navio não é apenas hidrográfico, mas também é um navio de recolha de inteligência.

    "Normalmente 'hidrográfico' pressupõe que se trata de um navio de inteligência que faz trabalho de reconhecimento nos interesses da Marinha britânica. O seu objetivo é não só avaliar dados hidrográficos como, por exemplo, no fundo do mar, mas também receber informação hidroacústica sobre o funcionamento de, por exemplo, submarinos e navios de superfície, realizando também reconhecimento radiotécnico."

    O especialista explica que os britânicos entraram para atualizar informações sobre a área do mar Negro.

    "É claro que esta informação é recolhida não só para benefício do Reino Unido, mas também nos interesses dos EUA e da OTAN", afirma o diretor da revista.

    A entidade ucraniana indica que a entrada do navio britânico no mar Negro realiza-se no contexto da cooperação bilateral entre a Ucrânia e o Reino Unido. O comandante da Marinha da Ucrânia planeja também ter um encontro com o comandante do navio inglês.

    O HMS Echo já havia entrado no porto da Odessa em dezembro do 2018, desta vez ele ficará nesse porto até ao dia 9 de maio.

    Mais:

    Analista sobre navios dos EUA perto da China: paranoia e desejo de sufocar economia do país
    Navios da OTAN liderados por destróier dos EUA entram no mar Báltico
    Tags:
    hidrografia, navio, Marinha Real, Odessa, mar Negro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar