16:55 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Porta-aviões nuclear Abraham Lincoln da Marinha dos EUA, foto de arquivo

    Navios dos EUA são monitorados por submarinos russos no mar Mediterrâneo, diz almirante

    © AP Photo / Hassan Ammar
    Defesa
    URL curta
    13241

    A presença de porta-aviões americanos não fará a Rússia mudar a sua agenda de política exterior, os navios estão sendo monitorados pela Marinha russa, em particular por submarinos nucleares, disse esta quarta-feira (24) o ex-comandante da Frota do Norte em 1999-2001, almirante Vyacheslav Popov.

    Anteriormente, o embaixador dos EUA na Rússia, John Huntsman, ameaçou Moscou com dois porta-aviões norte-americanos que estão no mar Mediterrâneo. De acordo com ele, cada porta-aviões representa "cem mil toneladas de diplomacia internacional'' e "demonstra à Rússia que, se ela realmente espera melhorar o relacionamento com os EUA, tem que parar com as atividades desestabilizadoras em todo o mundo".

    O almirante russo, por sua vez, afirmou que a Marinha russa segue de perto os navios americanos. "Os porta-aviões praticamente não aparecem naquelas regiões sem o nosso acompanhamento, onde existe uma potencial ameaça à Rússia. Assim que eles aparecem, as nossas forças, principalmente os submarinos nucleares com as respetivas armas, também aparecem", opinou Popov à Sputnik.

    Ele também destacou que qualquer porta-aviões é "uma força muito grande e séria'', mas a Marinha russa tem todos os meios necessários para os controlar.

    Por outro lado, o almirante criticou a posição do embaixador dos EUA. Segundo ele, a Marinha russa não realiza qualquer tipo de ações de desestabilização, pelo contrário, está contribuindo para o aumento da segurança nas regiões onde os seus navios navegam.

    Mais:

    Revista aponta torpedo russo que surpreendeu Marinha dos EUA ao atingir 370 km/h
    NI: EUA pretendem criar frota robótica para combater Rússia e China
    Navios da OTAN liderados por destróier dos EUA entram no mar Báltico
    Tags:
    Marinha, submarino nuclear, John Huntsman, mar Mediterrâneo, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar