18:07 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Navio USS Arlington da Marinha dos EUA

    Câmera escondida é encontrada em banheiro feminino de navio da Marinha dos EUA

    © AP Photo / Bebeto Matthews
    Defesa
    URL curta
    672
    Nos siga no

    A Marinha dos EUA abriu investigação depois de uma marinheira encontrar uma câmera escondida no banheiro feminino, a bordo do navio USS Arlington.

    Segundo o jornal Daily Mail, oficiais afirmaram que a câmera estava funcionando e gravando, entretanto, não especificaram se o equipamento gravou imagens estáticas, vídeo ou transmitiu em tempo real.

    O Serviço de Investigação Criminal Naval dos Estados Unidos abriu investigação para determinar quem instalou a câmera no local e o que foi gravado antes da marinheira encontrar o dispositivo.

    Os oficiais da Sexta Frota dos EUA afirmaram à NBC News que a câmera estava em um vaso sanitário a bordo do navio.

    "O comando tomou e continuará tomando todas as ações para assegurar a segurança e privacidade da vítima. O grupo da Marinha e do corpo de fuzileiros navais leva muito a sério todos os relatos de assédio sexual e está empenhado em investigar as alegações e fornecer recursos e cuidados às vítimas de assédio sexual", afirmou o porta-voz, Kyle Raines, ressaltando que os nomes das supostas vítimas não podem ser divulgados devido às investigações.

    Atualmente, o USS Arlington está em uma missão de segurança no mar Mediterrâneo, e estava atracado na Grécia.

    Um estudo realizado em 2018 pela organização sem fins lucrativos RAND Corporation concluiu que a Marinha era o serviço militar dos EUA com maior risco de assédio sexual. 

    Mais:

    Marinha dos EUA obtém acesso a portos de Omã em meio a tensões com Irã, diz mídia
    Netanyahu ameaça mobilizar Marinha israelense para evitar que Irã contorne sanções dos EUA
    Revista aponta torpedo russo que surpreendeu Marinha dos EUA ao atingir 370 km/h
    Tags:
    investigação, marinheiros, destroier, Marinha, navio, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar