04:55 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O torpedo russo Shkval é lançado durante os ensaios das Frotas do Báltico e do Norte (foto de arquivo)

    Revista aponta torpedo russo que surpreendeu Marinha dos EUA ao atingir 370 km/h

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Defesa
    URL curta
    19582

    A União Soviética desenvolveu uma das armas navais mais inovadoras, o torpedo de supercavitação VA-111 Shkval (Aguaceiro).

    O Shkval era uma arma virtualmente desconhecida antes do final da Guerra Fria e só se tornou conhecido nos anos 90. Com um motor de foguete, o torpedo era capaz de alcançar uma velocidade de até 200 nós (370 km/h), conforme a revista The National Interest

    Geralmente os torpedos utilizam hélices ou jatos de propulsão, contudo o Shkval utiliza um motor de foguete, o que seria suficiente para torná-lo extremamente rápido.

    Mas para alcançar essa velocidade, o torpedo precisaria eliminar o grande arrasto causado pela água. Assim, seria necessário encontrar um meio de vaporizar a água líquida em gás. Sendo assim, o torpedo passou a desviar o escapamento quente para sair de seu nariz, transformando a água em vapor.

    Com isso, conforme o torpedo avança, a água à sua frente é vaporizada, criando uma fina bolha de gás e, consequentemente, reduzindo em muito o arrasto.

    O surgimento do torpedo, que foi criado mais além dos limites do possível, desmascarou a total vulnerabilidade dos grupos de porta-aviões da Marinha norte-americana e influenciou as estratégias e táticas da Marinha russa.

    O Shkval entrou em operação em 1978, entretanto ele continua servindo a Marinha russa e foi modernizado. Inicialmente, ele tinha uma ogiva nuclear de 150 quilotons de potência e uma velocidade inédita de marcha, 100 metros por segundo.

    A versão moderna do torpedo não nuclear recebeu diversas melhorias. Além disso, vale destacar que a Rússia é o único país que produz este tipo de arma em massa.

    Os EUA tentam desenvolver um torpedo similar desde 1997, mas não conseguiram apresentar exemplares prontos para serviço. Além dos EUA, em 2004 os representantes da empresa alemã Diehl BGT Defence anunciaram o desenvolvimento de um torpedo de supercavitação, o Barracuda, contudo, ele não chegou a ser comercializado.

    Mais:

    Marinha dos EUA estaria sofrendo problemas sérios de segurança cibernética, aponta análise
    Porta-aviões da Marinha dos EUA estará fora de ação por 2 anos
    Mar Negro não é área de passagem para navios da Marinha dos EUA, diz especialista
    Tags:
    Arsenal de Marinha, Marinha, mísseis, torpedos, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar