01:47 22 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Vice-presidente brasileiro Antônio Hamilton Mourão falou na abertura da LAAD 2019

    LAAD 2019: com direito a '7 a 1', Marinha do Brasil fecha acordo com alemães por corvetas

    © Sputnik / Thiago de Araújo
    Defesa
    URL curta
    Thiago de Araújo
    LAAD 2019 no Rio de Janeiro (10)
    10184

    Troca de promessas e muitos afagos marcaram o anúncio dos planos futuros da Marinha do Brasil, anunciados nesta terça-feira na 12ª LAAD Defence & Security, a mais importante feira de defesa e segurança da América Latina. Uma parceria para quatro novas corvetas foi anunciada no evento, que vai até sexta-feira no Rio de Janeiro.

    O consórcio Águas Azuis, formado pela alemã Thyssenkrupp Marine Systems, pela brasileira Embraer Defesa & Segurança, e pela Atech, subsidiária do Grupo Embraer, venceu a disputa para a construção de quatro navios de defesa no Programa CCT – Corvetas Classe Tamandaré, cujos custos são estimados em R$ 6,4 bilhões.

    Com a presença do presidente em exercício do Brasil, Antônio Hamilton Mourão, o comandante da Marinha do Brasil, almirante Ilques Barbosa Júnior celebrou o acordo – que integra o Programa Estratégico Construção do Núcleo do Poder Naval –, que durou 15 meses e contou ainda com a participação dos consórcios Damen Saab Tamandaré, FLV e Villegaignon.

    "Hoje é um dia de muita felicidade para a nossa Marinha, para o nosso país", destacou o almirante brasileiro em entrevista coletiva.

    Diante do clima amistoso do evento, sobrou tempo para o comandante da Marinha brasileira relembrar a trágica semifinal da Copa do Mundo de 2014, entre Brasil e Alemanha, ao confundir o nome do embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, com o do governador do Rio, Wilson Witzel.

    "Não minimiza o 7 a 1…", continuou, arrancando risos e aplausos dos presentes ao pavilhão 5 do Riocentro.

    Detalhes do Programa CCT – Corvetas Classe Tamandaré, que terá 4 navios entregues entre 2024 e 2028
    © Foto : Divulgação / Marinha do Brasil
    Detalhes do Programa CCT – Corvetas Classe Tamandaré, que terá 4 navios entregues entre 2024 e 2028

    Para o CEO da Thyssenkrupp Marine Systems, Rolf Wirtz, é uma honra integrar o programa da Marinha do Brasil. Entre elogios ao processo seletivo das propostas, o executivo alemão destacou que a parceria com a Embraer e com a Marinha tende a render frutos no futuro, incluindo a possibilidade de exportações de corvetas como as da Classe Tamandaré para outros países.

    "O programa visa a defesa das águas brasileiras e terá maiores efeitos no futuro", ponderou Wirtz.

    O presidente e CEO da Embraer Defence & Security, Jackson Schneider, reforçou as palavras do parceiro alemão, ressaltando que o acordo acontece justamente no início das celebrações pelos 50 anos de fundação de Embraer, empresa esta que continuará, segundo ele, servindo ao Brasil.

    "A obtenção dos navios é marca extremamente relevante para a evolução do projeto estratégico de construção do núcleo do poder naval, pois contribuirá para que a Marinha do Brasil alcance melhores condições operacionais a fim de cumprir as suas responsabilidades na Amazônia Azul e sempre que necessário nos compromissos internacionais do Brasil", acrescentou Mourão, que ocupa a Presidência da República enquanto Jair Bolsonaro segue em sua visita oficial ao Estado de Israel.

    De acordo com a proposta vencedora, as quatro corvetas serão entregues entre 2024 e 2028. O projeto terá 31,6% de conteúdo nacional para o primeiro navio, e 41% para as outras três embarcações, garantindo assim transferência de tecnologias e capacitação de mão de obra nacional. O estaleiro que abrigará a construção dos navios é o Oceana, em Itajaí (SC).

    O acerto com os alemães atende a um antigo anseio dos militares brasileiros, que demandavam novas embarcações para patrulhar nada menos do que 4,5 milhões de quilômetros quadrados da chamada Amazônia Azul, que corresponde às águas jurisdicionais brasileiras.

    O anúncio desta terça-feira acontece quatro meses após outra boa notícia para a Marinha do Brasil, que lançou ao mar em dezembro do ano passado o submarino Riachuelo, o primeiro dos cinco previstos a ser entregue pelo Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

    A LAAD 2019 acontece entre os dias 2 e 5 de abril no Riocentro, no Rio de Janeiro, reunindo mais de 450 marcas nacionais e internacionais que vão exibir as últimas novidades em soluções, tecnologias, equipamentos e serviços para toda a cadeia de defesa, segurança pública e corporativa. A estimativa da organização é um público de 38.200 mil profissionais qualificados, em quatro dias de evento.

    Tema:
    LAAD 2019 no Rio de Janeiro (10)

    Mais:

    Investimento de US$ 1,6 bi em corvetas pela Marinha é 'emergencial', avalia especialista
    Palocci acusa Lula e Sarkozy de negociarem propinas em compra de submarinos e helicópteros
    5 anos e quase US$100 mi depois, Brasil se prepara para reabrir base na Antártica (FOTOS)
    Marinha do Brasil testa com sucesso novo míssil nacional
    Tags:
    Amazônia Azul, indústria naval, defesa, militares, corveta, segurança, LAAD 2019, Oceana, Atech Negócios em Tecnologias, ThyssenKrupp Marine Systems, Marinha do Brasil, Embraer, Rolf Wirtz, Georg Witschel, Ilques Barbosa Júnior, Wilson Witzel, Antonio Hamilton Mourão, Jair Bolsonaro, Jackson Schneider, Riocentro, Alemanha, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar