22:10 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Caça F-35 da Força Aérea dos Estados Unidos, foto de arquivo

    Frota norueguesa de F-35 pode ficar no solo devido a custos de operação e falta de pilotos

    © AP Photo / Rick Bowmer
    Defesa
    URL curta
    10102

    Com 52 novos aviões de combate F-35 para substituir a frota envelhecida de F-16, a Noruega espera criar uma das mais modernas forças aéreas. Porém, existem receios que haja uma grande falta de pilotos e técnicos.

    Apesar do grande investimento e das ambições em construir uma Força Aérea formidável, devido à insuficiência de pilotos experientes e ao aumento dos custos associados, grande parte da frota pode acabar por ficar no solo, informa o diário Aftenposten.

    "Em 2025 teremos uma das mais modernas forças de defesa aérea do mundo. A minha maior preocupação é se teremos fundos suficientes para poder usá-la efetivamente", revelou Tonje Skinnarland, a Chefe do Estado-Maior da Força Aérea da Noruega, ao Aftenposten.

    Segundo ela, existe uma grande diferença entre o número recomendado de pilotos e o número real de formandos que passam por treinamento anualmente. Além disso, sublinhou ela, ainda há uma grande falta de técnicos de manutenção. Isso é agravado pelo fato que muitos pilotos e técnicos que operam hoje se estão aproximando da idade de aposentadoria.

    O brigadeiro Oyvind Strandman, que no passado foi responsável pelos programas de treinamento na Força Aérea da Noruega, compartilhou a sua preocupação.

    "O que acontece é que adquirimos um sistema de armas muito caro, mas não temos capacidades econômicas para o operar completamente devido à falta de operacionais competentes", disse Strandman.

    Os custos operacionais de um caça F-35 são de cerca de coroas norueguesas (NOK) 110.000 (R$ 50.000) por hora. Um curso completo para um piloto é de cerca de NOK 60 milhões (cerca de R$ 26,7 milhões). A combinação destes fatores representa um peso bastante elevado, mesmo para a economia da Noruega rica em petróleo.

    A defesa aérea norueguesa tem reduzido recentemente o número de bases militares, mas fez grandes investimentos em novas aeronaves. Até agora a Noruega recebeu nove aviões de combate F-35 com um preço médio a rondar os NOK 1.375 bilhões por unidade (cerca de R$ 613 milhões), com outros 7 aviões ainda em testes nos EUA. Com um total de 52 aeronaves, a Noruega será o principal utilizador na Europa de F-35, o projeto militar mais caro da história e que tem sido marcado por várias deficiências técnicas neste aparelho.

    Mais:

    Caça F-35 recém-chegado teria declarado situação de emergência no Reino Unido
    Nova plataforma desenvolvida pela Boeing poderia tornar caça F-35 obsoleto, diz mídia
    Tags:
    Força Aérea, F-35, aviões, Noruega
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar