06:02 23 Março 2019
Ouvir Rádio
    Sistema de defesa antiaérea russo ZRK 2K12 KUB (versão KVADRAT destinada à exportação)

    Seguindo tendências mundiais: confira alterações mais significativas no mercado de armas

    © Foto: kollektsiya.ru
    Defesa
    URL curta
    191

    O último relatório sobre comércio global de armas, realizado pelo Instituto de Pesquisa da Paz Internacional de Estocolmo (SIPRI), demonstrou que a carreira armamentista está só aumentando nos últimos anos. Nessa situação, os EUA e a Rússia são os maiores a contribuir para essa tendência, mas não são os únicos.

    Anteriormente, o SIPRI publicou o relatório anual dos maiores exportadores de armas de 2018.

    Conforme dados do documento, os maiores cinco exportadores de armas são os Estados Unidos, Rússia, China, França e Alemanha, nesta sequência. Em geral, eles efetuam 75% das exportações globais, enquanto os dois primeiros países — Estados Unidos e Rússia — são responsáveis por 57% de todas as exportações, onde 36% correspondem a armas americanas e 21% — a russas.

    Então, de que maneira exata os países do Top 5 tomam parte em produção e exportação do material bélico pelo mundo?

    1. EUA

    Sem surpresa, a lista dos maiores vendedores de armas a nível mundial é liderada pelos Estados Unidos.

    Entre 2014 e 2018, as exportações de material bélico norte-americano cresceram 29% em comparação com o período entre 2009 e 2013. Assim, a participação dos Estados Unidos no volume total de fornecimento de armas a vários países aumentou de 30% para 36%. Vale destacar que, nesse período, mais da metade (52%) das exportações de armas estadunidenses foi principalmente destinada ao Oriente Médio.

    Ao mesmo tempo, aumentou a diferença entre volume de vendas de dois principais países exportadores de armas: entre 2014 e 2018, os EUA venderam um volume de material bélico 75% maior de que o da Rússia, enquanto que entre 2009 e 2013 a diferença foi de apenas 12%.

    2. Rússia

    No período entre 2014 e 2018, o volume de exportações de armas russas foi reduzido em 17%, em comparação com 2009 a 2013. Em particular, isso se deveu à redução das importações da Índia que foram diminuídas 24% em relação ao período anterior. No entanto, entre 2014 e 2018, 58% das importações de armas russas foram destinadas à Índia.

    3 e 4. França e Alemanha

    A França, terceiro maior rosto no mercado mundial de armas, aumentou suas exportações em 43%. É seguido pela Alemanha com um crescimento de 13% no setor.

    Quanto às exportações conjuntas de armas dos Estados-Membros da União Europeia, o volume representa 27% das exportações mundiais de armas no nos últimos cinco anos.

    5. China

    O gigante asiático foi o quinto maior exportador de armas no período determinado. Em comparação com o período entre 2004 e 2008, suas exportações cresceram 195%. No total, a China vendeu armas a 53 países. Segundo destaca o relatório recém-publicado, o Paquistão recebe mais de um terço (37%) das exportações militares chinesas.

    Outra circunstância importante é que a China conseguiu reduzir importações de material bélico, principalmente porque conseguiu desenvolver e produzir armas próprias.

    Outras tendências

    Em escala global, as vendas de armas aumentaram 7,8% entre o final de 2013 e 2018, sendo os cinco maiores exportadores de armas responsáveis por 75% de todas as vendas. Países como Israel, Coreia do Sul e Turquia também venderam muito: 60%, 94% e 170%, respectivamente.

    Já o Brasil entra na lista dos 25 países que mais exportam armas, ocupando a 23ª colocação. Dos 100% de armas exportadas, o Brasil foi responsável por 0,2% e, entre 2014 e 2018, os países que mais compraram armas brasileiras foram Afeganistão, Indonésia e Líbano.

    Importações de armas dos países do Oriente Médio cresceram 87% entre 2009 e 2018 e representaram 35% de todas as importações mundiais. Por exemplo, a Arábia Saudita se tornou o maior importador de armas do mundo, com um aumento de 192% em relação ao período anterior de cinco anos. Entretanto, o Egito, terceiro maior importador, triplicou importações, somando um crescimento de 206%.

    Se prestarmos atenção para outras regiões, os cinco maiores importadores de armas da Ásia e Oceania foram a Índia, a Austrália, a China, a Coreia do Sul e o Vietnã. Quanto à África, os cinco maiores importadores de armas nesse continente foram Nigéria, Angola, Sudão, Camarões e Senegal. Juntos, eles correspondem a 56% das importações de armas.

    Mais:

    750 mil rifles e 1 cliente: Rússia celebra estratégia de exportação de 'mortíferos' AK-203
    França pede à Alemanha que facilite as regras de exportação de armas
    Que fatores impedem exportação de produtos de alta tecnologia russos ao Brasil?
    Brasil pode ter exportação de soja temporariamente suspensa para Rússia
    Tags:
    exportação de armas, tendência, mercado global, material bélico, importação, SIPRI, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar