01:03 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Desfile militar na China (foto de arquivo)

    O que está por trás do aumento do orçamento militar da China?

    © AP Photo / Pang Xinglei/Xinhua
    Defesa
    URL curta
    12411
    Nos siga no

    No âmbito da Assembleia Popular Nacional da China foi anunciado que o orçamento militar do país em 2019 terá um aumento de 7,5% em relação ao ano passado. O analista militar Vasily Kashin comentou à Sputnik China a estratégia militar de Pequim.

    Vale ressaltar que aumento planejado para os gastos militares é menor do que do ano passado, quando eles cresceram 8,1 por cento, e muito que menor que a taxa de crescimento média entre a década de 1990 e o início da década de 2010, quando o orçamento militar cresceu mais de 10% por ano (por exemplo, em 2007 os gastos com defesa aumentaram 17% em comparação com o ano anterior).

    Levando em conta as tensões entre a China e os EUA, há opiniões diferentes sobre o assunto. Enquanto as edições japonesas e americanas opinam que isso é uma demonstração de força por parte da China, as edições chinesas indicam que a taxa de crescimento do orçamento militar é menor que em 2018.

    Segundo o analista militar Vasily Kashin, Pequim tem uma estratégia coerente no que se refere a seu orçamento militar: o poderio militar do país deve aumentar proporcionalmente ao seu poder econômico, não atrasando o setor da defesa e ao mesmo tempo não sobrecarregando a economia.

    Kashin sublinha que os gastos militares da China representam cerca de 1,3% do PIB (em comparação com 4% do PIB nos EUA e cerca de 2,8% na Rússia) desde o início do século XXI, enquanto a taxa de seu crescimento tem correlação com o crescimento econômico do país e com o índice de preços do produtor. Por isso, as altas taxas de crescimento econômico em meio ao aumento dos preços dos produtos industriais e do combustível levam ao crescimento de dois dígitos do orçamento militar. Ao mesmo tempo, a desaceleração do crescimento econômico acompanhada pelo baixo nível de inflação leva a uma menor taxa de crescimento dos gastos com a defesa.

    "A influência dos eventos políticos correntes na taxa de crescimento do orçamento militar é, provavelmente, insignificante", revelou o analista à Sputnik China.

    Entretanto, há uma tendência de aumento gradual da cota-parte das despesas militares nas despesas totais do Estado: o orçamento militar aumentou 7,5%, enquanto as despesas totais aumentaram apenas 6,5%.

    O analista sublinhou que no orçamento militar não seriam incluídos os gastos com pesquisa e desenvolvimento, benefícios sociais para os militares aposentados e a maior parte das despesas para preparação e manutenção dos componentes da reserva das Forças Armadas.

    "Mesmo com todos esses elementos, o orçamento militar da China provavelmente não atingirá dois por cento do PIB – o nível mínimo das despesas militares recomendado para os países membros da OTAN", explicou Kashin.

    O aumento gradual da cota-parte dos gastos militares no orçamento chinês não tem nada a ver com uma escalada. Pequim ainda não vê necessidade de rever radicalmente sua estratégia militar, concluiu o analista.

    Mais:

    Bombardeiros B-52 dos EUA sobrevoam águas disputadas perto da China
    China está pronta para testar canhões de plasma, diz mídia
    China manda recado para EUA e Coreia do Norte após fracasso da cúpula: 'tenham paciência'
    Tags:
    gastos militares, orçamento militar, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar