04:08 21 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Tanque russo T-14 Armata

    NI avalia superioridade do tanque russo T-14 Armata sobre blindados da OTAN

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Defesa
    URL curta
    12162

    Apresentação do tanque russo T-14 Armata em 2015 revelou a crescente obsolescência dos principais tanques de combate da OTAN: o britânico Challenger 2 e o americano M1A2 Abrams, escreve a revista norte-americana.

    O autor do The National Interest, que se refere a um artigo do especialista Will Flannigen, compara o T-14 Armata com os veículos blindados da OTAN em três pontos principais: capacidade de sobrevivência, poder de fogo e mobilidade.

    A mudança mais "radical" no T-14, em comparação com tanques mais antigos, de acordo com Flannigen, é sua capacidade de sobrevivência. Assim, para manter um nível de proteção suficiente, o Challenger 2 e o M1A2 podem ser equipados com meios adicionais na forma de blocos de proteção dinâmicos que, no entanto, afetam negativamente o peso desses carros pesados e não oferecem nenhuma garantia de proteção.

    Ao mesmo tempo, no Armata, junto com a blindagem usual, é usado provavelmente um dos meios mais revolucionários de proteção de tanques — um complexo de proteção ativa, observa a revista.

    Neste caso, de acordo com o autor, a integração de tal sistema no T-14 Armata demonstra até que ponto a construção de tanques ocidental ficou para trás na aplicação de sistemas de proteção mais leves e eficazes. Assim, hoje nas configurações normais do Challenger 2 e do M1A2 os sistemas de proteção ativa não são usados, o que significa que os tanques da OTAN são inferiores aos veículos russos modernos.

    O poder de fogo do T-14 é garantido por um canhão 2A82-1M de 125 mm. Além disso, ao contrário dos tanques ocidentais, os canhões russos e soviéticos têm a capacidade de disparar mísseis antitanque, e a eficácia de combate do Challenger 2 e M1A2, apesar do sucesso na guerra com o Iraque, apenas provoca preocupação, o que é especialmente evidente após a criação do T-14, acredita o autor.

    Além disso, o Armata manteve seu peso relativamente pequeno, enquanto o tanque tem uma suspensão melhorada e um motor a diesel eficaz, o que permite que o carro de combate tenha uma boa autonomia e mobilidade estratégica. Por sua vez, todos os principais tanques da OTAN, incluindo o M1A2 e o Challenger 2, pesam mais de 50 toneladas na configuração básica, o que pode causar problemas quando são posicionados, enquanto o uso de conjuntos adicionais de blindagem reduz ainda mais sua mobilidade.

    Como resultado, as forças blindadas do Reino Unido e dos Estados Unidos, tal como as da OTAN em geral, estarão em uma posição extremamente desvantajosa em comparação com as forças terrestres russas modernizadas e equipadas com o Armata, acredita o autor.

    Assim, a criação do T-14 Armata forçou tanto o Reino Unido, como os EUA a tomar medidas para tentar desenvolver as novas tecnologias, conclui o The National Interest.

    Mais:

    Eis os 5 países que poderão comprar o letal tanque russo Armata
    Batalha de tanques: novo Armata russo contra Merkava de Israel
    'Diferentes concepções': revista norte-americana compara tanques ocidentais e Armata russo
    Antepassados do Armata: os 5 tanques que serviram como base para o T-14 (FOTOS)
    Réplica ao Armata? Especialista militar comenta protótipo de novo tanque britânico
    Tags:
    superioridade, tecnologia, blindados, canhão, tanque, T-14 Armata, OTAN, Reino Unido, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar