02:44 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Agente do FSB (Serviço Federal de Segurança) aponta fuzil de assalto contra alvo inimigo

    Forças especiais da Rússia recebem novíssima 'superarma'

    © Sputnik / Maksim Vetrov
    Defesa
    URL curta
    2251
    Nos siga no

    As forças especiais russas já começaram a receber os novíssimos fuzis de assalto pesados ShAK-12 que a mídia norte-americana chamou de "superarma".

    As informações foram confirmadas pelo chefe do Bureau Central de Desenvolvimento e Pesquisa de Armas Esportivas e de Caça, Yuri Amelin.

    Nas palavras dele, o ShAK-12 é uma arma muito específica que não será produzida em massa, sendo destinada às forças especiais da Rússia.

    "Recebemos encomendas, que cumprimos no quadro do sistema de compras militares do Estado, mas não está previsto produzir [estas armas] em massa", indicou.

    Na semana passada, a revista The National Interest revelou que as forças especiais da Rússia receberão um novíssimo fuzil de assalto pesado de calibre 12,7 mm. Destaca-se que a arma foi desenvolvida por encomenda do FSB (Serviço Federal de Segurança) e possui um poder de fogo impressionante. Ao avaliar as capacidades do novo fuzil, o jornal chamou-o de "superarma".

    O ShAK-12 é um modelo moderno de arma de assalto de alta eficiência. Foi desenvolvido para ser usado pelas forças especiais em combates de proximidade. Seu objetivo principal é a destruição rápida e eficaz de um adversário, mesmo que use colete a prova de balas ou tenha outra proteção.

    Mais:

    'Desastre completo': NI comenta criação de um exército europeu
    NI: Rússia pode ter encontrado nova maneira de destruir 'grandes canhões' inimigos
    Arma invulnerável: analista militar elogia maior vantagem do míssil russo Avangard
    Analista: Pantsir-S é uma arma eficaz para proteger qualquer território
    Tags:
    forças especiais, arma, militares, fuzil de assalto, The National Interest, Serviço Federal de Segurança (FSB), Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar