10:04 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares das Forças Armadas da Ucrânia

    Militar ucraniano anuncia 'brigada do futuro' com tanques e veículos blindados soviéticos

    © REUTERS / Aleksandr Klymenko
    Defesa
    URL curta
    308
    Nos siga no

    No início de novembro, na Marinha da Ucrânia foi criada uma unidade de infantaria naval que pode ser chamada de "brigada do futuro", disse o seu comandante, coronel Nikolai Palas, em entrevista ao jornal Narodnaya Armiya.

    Ele ressaltou que os equipamentos e armas "modernos" já estão chegando – tanques T-80, da época da União Soviética, e blindados de transporte pessoal BTR-7 (modernização do BTR-70 soviético). Planeja-se também equipar a brigada com veículos blindados Varta e sistemas antitanque Stugna-P, além de armas ligeiras modernizadas.

    Como resultado, a nova unidade incorporará todos os "altos padrões" seguidos por todas as unidades das Forças Armadas da Ucrânia, concluiu o coronel.

    Anteriormente, Kiev apontou reiteradamente diversos problemas no exército ucraniano. Conforme o procurador militar Anatoly Matios, as perdas fora de combate das Forças Armadas da Ucrânia atingiram mais de dez mil pessoas em 2014. Ao mesmo tempo, o estado moral e mental dos militares está se degradando. Os efetivos das forças militares saqueiam e entram em brigas sob efeito de bebidas alcoólicas. Casos de deserção e suicídio são cada vez mais frequentes.

    Além disso, a qualidade do equipamento militar ucraniano deixa muito a desejar. E não são apenas os militares ucranianos que reclamam das suas condições insatisfatórias, mas também seus parceiros estrangeiros.

    Mais:

    EUA realizam voo imprevisto por cima da Ucrânia
    MRE russo: lei marcial na Ucrânia ameaça com reinício de ações militares em Donbass
    EUA visam transformar Ucrânia em novo foco de tensão, diz deputado russo
    Tags:
    exército, veículos blindados, tanques, T-80, Forças Armadas da Ucrânia, Kiev, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar