11:10 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Exercícios ucranianos no mar de Azov

    Deputado explica o que evidenciam exercícios ucranianos no mar de Azov

    © Sputnik / Servicio de prensa del presidente de Ucrania
    Defesa
    URL curta
    340

    Os militares ucranianos realizaram mais uns exercícios no mar de Azov. O deputado russo Yuri Shvytkin expressou ao serviço russo da Rádio Sputnik a sua opinião sobre a situação, assinalando que a Rússia não aceitaria provocações desse tipo.

    No decorrer dos exercícios no mar de Azov, foram treinados disparos condicionais contra navios inimigos na proximidade da costa, disse na sexta-feira (23) o centro de imprensa das forças conjuntas da Ucrânia.

    "Unidades do agrupamento operacional Vostok das forças conjuntas demonstraram durante exercícios intensos como destruir navios anfíbios inimigos e proteger a costa marítima", disse o centro de imprensa em um comunicado no Facebook.

    Os engenheiros militares conduziram uma rápida colocação de minas em seções da costa perigosas para desembarque e na sua aproximação, e uma divisão de artilharia de foguetes múltiplos Uragan "bombardeou condicionalmente navios inimigos nas proximidades da costa", segundo o centro de imprensa.

    O vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Yuri Shvytkin, contou ao serviço russo da Rádio Sputnik das razões e possíveis consequências desses exercícios.

    "Indubitavelmente, estes exercícios evidenciam tentativas de provocações das autoridades ucranianas, em particular das Forças Armadas da Ucrânia. Isso deve atrair mais uma vez a atenção da União Europeia para a situação no mar de Azov, a UE deve declarar às autoridades ucranianas sobre a inadmissibilidade de tais provocações", opina o deputado russo.

    Soldados britânicos
    © flickr.com / UK Ministry of Defence
    Além disso, a situação revela a "necessidade de serem tomadas medidas correspondentes" por parte da Rússia para prevenir violações das normas do direito internacional, para as quais infelizmente há premissas e mesmo violações diretas da parte ucraniana, assinalou Shvytkin.

    "Quero sublinhar que em geral as forças e meios concentrados nessa área são suficientes para prevenir provocações. No entanto, se tiver lugar um agravamento mais sério da situação, nós estamos prestes a reforçar ainda mais essa área", declarou o deputado.

    A navegação no mar de Azov vem piorando desde o início deste ano. Em março, a Ucrânia deteve o navio pesqueiro russo Nord, acusando o capitão de ter visitado ilegalmente a Crimeia "para prejudicar os interesses do Estado". Em agosto, a guarda costeira ucraniana deteve o navio-cisterna Mekhanik Pogodin com sua tripulação a bordo.

    Moscou se referiu às ações de Kiev como "terrorismo marítimo" e ordenou o reforço do controle da fronteira na sua parte do mar de Azov.
    Posteriormente, Kiev anunciou a intenção de fortalecer sua presença militar no mar de Azov e de criar uma base naval na região.

    Mais:

    Forças Aerotransportadas da Ucrânia receberão sistemas americanos Javelin em 2019
    Ucrânia: existe perigo de uma 'grande guerra' com Rússia
    Secretário de Estado dos EUA promete ajudar Ucrânia na luta contra 'agressão russa'
    Depois de ameaçar, Ucrânia reconhece ser incapaz de construir base naval no mar de Azov
    Tags:
    explicação, provocação, reação, deputado, União Europeia, mar de Azov, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik