11:48 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldado polonês junto às bandeiras da OTAN, Polônia e EUA

    Há países europeus prestes a dar o território aos EUA a troco de nada, diz analista

    © REUTERS / Kacper Pempel
    Defesa
    URL curta
    11171

    A revista The National Interest publicou um artigo dizendo que o possível posicionamento de uma base militar dos EUA na Polônia é uma má ideia tanto para os EUA, como para a Europa. O especialista Vladimir Kozin comentou a publicação ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    O analista da revista The National Interest, Doug Bandow, considerou o possível posicionamento de uma base militar dos EUA na Polônia como uma má ideia para os EUA e para a Europa.

    Para ele, a instalação da base não tem sentido, visto que agora ninguém acredita na intenção da Rússia de atacar a Polônia. O especialista lembrou que se tratava de uma potência nuclear.

    Bandow tem certeza de que a criação da nova base militar levará ao agravamento da confrontação entre Moscou e Washington. Segundo ele, a Rússia já sem a base tem razões para descontentamento, por exemplo, a ampliação da OTAN para leste e a interferência da OTAN na política dos países vizinhos da Rússia.

    "Se a Rússia se comportasse do mesmo modo no Canadá ou no México, Washington reagiria bruscamente e de maneira agressiva", opina o analista.

    O autor do artigo da revista tem certeza de que a Europa é capaz de manter sua capacidade defensiva de forma independente.

    Vladimir Kozin, analista militar e investigador do Centro de Pesquisas Político-Militares da Universidade MGIMO, comentou ao serviço russo da Rádio Sputnik a publicação da revista The National Interest.

    "Este analista percebe a situação de modo realista e claramente não deseja um agravamento da situação no continente europeu. A criação na Polônia de uma base militar norte-americana, o posicionamento lá de uma divisão de blindados dos EUA ou do sistema da defesa antimísseis estratégico e outros planos semelhantes, certamente, apenas agravam a situação e podem levar a consequências irreparáveis. É muito bom que alguém no Ocidente entende isso", comentou Kozin.

    O especialista lamentou que tais vozes razoáveis fossem uma raridade. Os líderes de muitos países europeus ecoam os americanos ou "se escondem nos arbustos", preferindo ficar calados. Além disso, os líderes dos países bálticos e da própria Polônia, entretanto, estão prestes a dar o seu território aos EUA literalmente a troco de nada, destacou o analista russo.

    Anteriormente, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou após sua reunião com o presidente da Polônia, Andrzej Duda, que seu governo está considerando o estabelecimento de uma base militar permanente em território polonês e que Varsóvia está disposta a pagar "bilhões de dólares" por essa instalação.

    O ministro da Defesa russo assinalou que tais passos não contribuem para o reforço da segurança regional, mas obrigam Moscou a tomar medidas de resposta.

    Mais:

    Mísseis dos EUA na Europa serão 'pistola apontada para têmpora da Rússia', indica analista
    Análise: saída de Trump do INF pode pôr bases dos EUA na Europa na mira de mísseis russos
    EUA têm armazéns de armas por toda a Europa, mas será que ajudarão em caso de guerra?
    Novo míssil russo Kalibr alcançaria qualquer capital da Europa, relata almirante dos EUA
    Tags:
    confrontação, defesa antiaérea, posicionamento, base militar, Rádio Sputnik, The National Interest, Rússia, Países Bálticos, Polônia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik