16:30 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Tanque russo T-14 Armata

    Antepassados do Armata: os 5 tanques que serviram como base para o T-14 (FOTOS)

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Defesa
    URL curta
    2120

    As Forças Armadas russas logo vão receber em massa tanques de nova geração em plataforma do Armata. Atualmente eles estão passando por testes do exército e já foram avaliados pelos especialistas russos e estrangeiros como os melhores da sua classe, não apenas por seu potencial de fogo, mas também pelo nível de proteção da tripulação.

    Ainda nos anos 70, na antiga União Soviética começaram a pensar na criação de um tanque com um princípio de montagem completamente novo. Foram dezenas os protótipos que antecederam a criação do Armata, alguns tiveram sucesso, outros não tanto. A Sputnik apresenta cinco blindados experimentais cujas soluções técnicas foram aproveitadas durante a elaboração do T-14.

    Sumido sem deixar rastros

    Cherny Orel ou Obyekt 640 (Águia Negro ou Objeto 640) era um projeto de tanque de combate avançado de 4ª geração. A maqueta em tamanho real foi demonstrada pela primeira vez em 1997. Ele foi feito com base no tanque T-80, a cereja no topo era a torre de forma incomum. A forma da torre era muito distinta da das gerações anteriores: parecia plana e quase colada ao chassi.

    Cherny Orel ou Obyekt 640 (Águia Negro ou Objeto 640), foto de arquivo
    © Sputnik / Konstantin Yevgenyev
    Cherny Orel ou Obyekt 640 (Águia Negro ou Objeto 640), foto de arquivo
    Os construtores tentaram parcialmente usar aqui o princípio da torre desabitada e proteger a tripulação o máximo possível. Assim, o assento do condutor-mecânico foi movido para trás, enquanto os do comandante e do apontador, mesmo estando dentro da torre, podiam ser regulados variando a altura. Em posição de combate, os tanquistas baixavam os assentos e se colocavam a uma altura que não superava o rebordo da torre: os construtores acreditavam que assim aumentavam as chances de sobrevivência da tripulação caso o tanque fosse atingido. As munições eram colocadas na parte traseira da torre que foi separada dos setores habitáveis por uma chapa blindada. Se o projétil atingia o setor com munições, a energia causada pela explosão era libertada através de painéis especiais causando danos mínimos à tripulação.

    O Objeto 640 era equipado com um canhão de cano liso de 125 mm, mas peças de calibre 135, 140 e 152 mm também foram propostas. As armas auxiliares eram uma metralhadora dupla de 7,62 mm e um sistema antiaéreo remoto com base na metralhadora de grande calibre Kord.

    No entanto, o Cherny Orel nunca foi entregue às Forças Armadas russas, já que seu principal construtor — a Fábrica de construção de veículos de transporte de Omsk — faliu em 2005.

    Tamanho impressionante

    O tanque experimental Objeto 292 foi construído com base no T-80 pouco antes da dissolução da União Soviética. A diferença principal dos seus "irmãos" usados nas Forças Armadas era o calibre impressionante do cano liso: 152 mm. Contudo, as dimensões do canhão não diferiam muito do que tem 125 mm de calibre.

    Os testes de fogo do protótipo foram iniciados em 1991 e mostraram resultados positivos: não existia uma arma com balística igual. É notável que o chassi do T-80 não exigiu muito aperfeiçoamento, além das mudanças no mecanismo de carregamento. Os compartimentos de combate dos tanques T-80 e Objeto 292 eram intermutáveis. No futuro, os construtores planejavam desenvolver um cano estriado de 152 mm.

    Tanque experimental Objeto 292, foto de arquivo
    Tanque experimental Objeto 292, foto de arquivo
    A difícil situação financeira da indústria russa nos anos 90, inclusive na construção de tanques, acabou com esse modelo em perspectiva. Muitos especialistas afirmam que o Objeto 292 tinha todas as chances de ser entregue às Forças Armadas. O único protótipo construído em metal era um exemplar classificado que hoje em dia está exposto em um museu em Kubinka, na região de Moscou.

    O mais jovem e mais próximo

    O tanque T-95 ou Objeto 195 — é o "parente" mais jovem e mais próximo do Armata. Sua torre é completamente desabitada e a tripulação, que consiste de três efetivos, está alojada em uma cápsula blindada na parte dianteira. As munições ficavam em um compartimento separado, o que aumentava o nível de segurança da tripulação.

    O canhão principal era de 152 mm. Como armas de apoio foram instalados um canhão automático 2A42 de 30 mm e uma metralhadora Kord de 12,7 mm. O T-95 se distinguia por um sistema de controle de fogo muito complexo. A tripulação recebia informação sobre os alvos e a situação no campo de batalha através de canais óticos, câmeras térmicas e infravermelhas, todos os dados eram exibidos em telas no setor habitável. O veículo tinha uma blindagem combinada multicamadas, proteção ativa e sistemas de resistência otíco-eletrônica. O tanque pesava aproximadamente 55 toneladas, mas graças ao motor potente de 1.600 c.v. podia acelerar até 70 km/h.

    Possível aspecto do Objeto 195
    Possível aspecto do Objeto 195
    Infelizmente, o tanque resultou ser muito caro e tecnicamente complexo. O financiamento foi congelado e em 2010 o Ministério da Defesa anunciou o cancelamento do projeto. Mas é óbvio que os desenvolvimentos do Objeto 195 foram usados pelos construtores na criação de uma plataforma mais aperfeiçoada e unificada — o Armata.

    Projeto soviético

    Outro tanque experimental que se parecia com o Armata era o Objeto 447, Bokser (Boxeador, em português). O projeto foi elaborado por especialistas de Carcóvia, de Leningrado e de Niznhy Tagil em meados dos anos 80. A torre do Bokser, com seu canhão de 152 mm, era desabitada.

    A tripulação consistia de três pessoas. O condutor-mecânico se sentava na parte dianteira do tanque tendo à direita dele o tanque de combustível separado por uma chapa de aço. O comandante e o apontador se sentavam sob a torre, tendo por trás um sistema de carregamento original que aumentava a cadência para 14 tiros por minuto. As demais armas e munições estavam em um compartimento separado na parte traseira do veículo.

    Objeto 477, Bokser, edição de 1993
    Objeto 477, Bokser, edição de 1993
    Para o Objeto 447 foi elaborado um sistema de controle e informação que podia servir como base para criação de um sistema de reconhecimento e ataque com uso de drones e até com tanque de controle remoto. Em 1992, os trabalhos do projeto foram suspensos. A Rússia tentou receber da Ucrânia a documentação técnica para continuar o projeto, mas Kiev se recusou a cooperar.

    Visitante do futuro

    Em meados dos anos 1980, os especialistas do escritório de projetos da Fábrica Kirov começaram a elaborar a plataforma universal para uma família de blindados. O Objeto 299 se distinguia completamente de todos os tanques que existiam na época. O motor e transmissão estavam, ao contrário do habitual, na parte dianteira. O compartimento seguinte, completamente blindado e isolado, era para a tripulação. A torre era inexistente — as armas ficavam instaladas na parte traseira do veículo, as munições e sistema de carregamento estavam posicionados debaixo da parte traseira.

    Os construtores planejavam criar com base nesta plataforma uma linha de veículos de apoio, blindados, um obus autopropulsado e veículos civis. Uma das versões mais inesperadas com a plataforma do Objeto 299 era um tanque de mísseis com 30 mísseis instalados na parte traseira do tanque. Do lado de fora era instalada uma metralhadora com controle remoto e o sistema de pontaria. Na etapa inicial o projeto foi reconhecido como bem-sucedido, inclusive de ponto de vista econômico. No entanto, após o colapso da URSS, o financiamento foi congelado. Os desenvolvedores apenas conseguiram construir a maqueta.
    Vista geral do Objeto 299
    Vista geral do Objeto 299

    Mais:

    Réplica ao Armata? Especialista militar comenta protótipo de novo tanque britânico
    Tanque T-14 Armata ganha destaque na visita do chefe do exército indiano à Rússia
    Projetos inovadores do T-14 Armata e Su-57 russos estão condenados ao fracasso?
    Tags:
    blindados, tanque, T-14 Armata, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik