09:29 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Maria Zakharova, representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia

    Moscou: OTAN usa Finlândia e Suécia para implementar seus objetivos contra Rússia

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Defesa
    URL curta
    7121

    A OTAN está tentando usar o potencial militar da Finlândia e da Suécia para implementar suas metas oportunistas de conter a Rússia sob pretextos falsos, disse a representante do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, nesta quinta-feira.

    "Vemos as ações da aliança do Atlântico Norte como uma tentativa de usar o potencial militar e político da Finlândia e da Suécia para implementar seus próprios objetivos oportunistas para conter a Rússia sob pretextos inventados e completamente improváveis. Assumimos que Helsinque e Estocolmo também entendem isso e estão cientes das ameaças reais e de onde vêm as ameaças à segurança européia. Certamente não da Rússia", disse Zakharova.

    Os maiores exercícios da OTAN nos últimos anos estão ocorrendo na Noruega com a participação de cerca de 50 mil militares do bloco e países parceiros, bem como com cerca de 250 aeronaves, 65 embarcações e até 10 mil veículos terrestres. As manobras serão realizadas entre 25 de outubro a 7 de novembro no centro e leste da Noruega, bem como nas áreas adjacentes do Atlântico Norte e do Mar Báltico, incluindo a Islândia, o espaço aéreo finlandês e sueco.

    A presença massificada das forças da OTAN está gerando controvérsias entre políticos noruegueses e aumentando tensões entre EUA e Rússia.

    Mais:

    Mídia: forças da OTAN no Báltico não passam de 'quebra-molas' para Rússia
    Após 'ameaça russa', OTAN vai realizar exercícios cibernéticos, afirma Stoltenberg
    OTAN estaria desenvolvendo novas táticas para combater submarinos russos, diz especialista
    Defesa russa: atividades da OTAN perto da Rússia atingem nível sem precedentes
    'Nova Guerra Fria é possível': o que visa OTAN com maiores exercícios à vista?
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik