16:32 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Os sistemas S-400

    Ministério da Defesa russo: todos sabem que não existe nada melhor do que S-300 e S-400

    © Sputnik / Alexander Vilf
    Defesa
    URL curta
    12271

    Muitos países percebem que no mundo não existe nada melhor do que os sistemas de mísseis de defesa antiaérea russos S-300 e S-400, afirmou nesta quinta-feira (25) o vice-ministro da Defesa russo, Aleksandr Fomin, nas margens do fórum de Xiangshan, em Pequim, dedicado às questões de segurança.

    "Todos sabem que melhor do que o S-300, e mais ainda, do que o S-400, não pode haver nenhum Patriot, nem até mesmo na versão Patriot PAC-3+. Quer em termos de alcance, quer em número de alvos a destruir simultaneamente, quer em leque de alvos, velocidade dos alvos, quanto aos sistemas de defesa antiaérea grandes, nós ultrapassamos o Patriot PAС-3+ em tudo", afirmou Fomin.

    Ele apontou que a superioridade se verifica em temos de "alcance de detecção, alcance de destruição, bem como de alcance em geral, também de altitude e de limite de proximidade, que também é uma característica muito importante".

    "Mais uma característica importantíssima do Patriot PAС-3+ é que este é capaz de eliminar alvos que voam a uma velocidade de 1.700 m/s, […] enquanto o nosso [abate os que voam] a 4.700 m/s. Percebem a diferença?", indagou o vice-ministro.

    De acordo com ele, "trata-se de alvos que ainda não surgiram até agora, que serão criados entre 2040 e 2050".

    "Todo mundo o percebe e por isso, apesar do medo, eles percebem que não existe nada melhor que isso. Ou seja, podemos destruir alvos com uma eficácia a 100% nas grandes distâncias de aproximação e ninguém se pode comparar", ressaltou.

    Mais:

    Turquia revela quando começará a instalar sistemas S-400 russos
    Vantagens dos sistemas S-400 são incontestáveis, diz analista militar
    Especialista militar: mísseis S-400 russos servem para 'repelir agressões aéreas massivas'
    Tags:
    defesa antiaérea, S-400, S-300, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik