15:37 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Testes do sistema de combate a laser russo Peresvet

    Sistemas a laser russos Peresvet seriam capazes de eliminar drones

    © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia
    Defesa
    URL curta
    6120

    As armas de combate a laser russas, tais como o sistema Peresvet, são capazes de combater drones de produção industrial e caseira, disse nesta sexta-feira (19) o diretor do Centro da Análise do Comércio Internacional de Armas, Igor Korotchenko, durante uma coletiva no escritório da Sputnik.

    "Em condições de ambiente favoráveis, quando não há névoa, tempestade de areia e precipitações, ou seja, em condições ideais, os sistemas de combate a laser são bem eficazes para eliminar drones. É uma de suas áreas de intervenção. Quer dizer, qualquer base, qualquer objetivo que deve se proteger, deverá potencialmente se equipar com armas laser no futuro", disse o diretor do Centro, citando como exemplo o sistema de produção russa Peresvet.

    Ao mesmo tempo, ele frisou que, além de restrições climáticas, os sistemas de combate a laser são exigentes quanto às instalações energéticas, por isso pode ser complicado garantir a potência necessária em condições de campo.

    O sistema a laser Peresvet foi apresentado pelo presidente russo, Vladimir Putin, em 1º de março de 2018 durante sua mensagem anual à Assembleia Federal, entre vários outros novos armamentos avançados da Rússia, como os mísseis Kinzhal e Avangard.

    Inicialmente, a arma não tinha nome, que posteriormente foi escolhido no decorrer de uma votação nacional. Mais tarde, o Ministério da Defesa da Rússia comunicou que os sistemas já tinham entrado no serviço do exército russo e sido instalados nos locais necessários.

    Mais:

    Estratégia engenhosa: por que Pentágono não poupa elogios às armas russas?
    Por que armas nucleares não são mais testadas?
    EUA querem produzir armas russas, diz mídia
    Tags:
    drones, arma a laser, Peresvet, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik