20:19 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Consórcio russo Kalashnikov demonstra um dos seus últimos avanços – o fuzil de assalto AK-308 com mira dióptrica e coronha retrátil regulável

    Estatal Rostec chama de 'roubo' ideia dos EUA de copiar armas russas

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Defesa
    URL curta
    11341

    A corporação estatal russa Rostec chamou a ideia de produzir metralhadoras russas de grande calibre NSV Utes nos EUA sem permissão da estatal Rosoboronexport de "cópia ilegal de tecnologias russas" e de "roubo".

    A revista The National Interest comunicou recentemente que o Comando de Operações Especiais do Exército dos EUA pretende financiar a produção de cópias de armas russas. O financiamento é destinado a empresas que possam "descobrir e melhorar a tecnologia da metralhadora Kalashnikov, da metralhadora modernizada e de grande calibre NSV Utes e fazer suas cópias".

    "Tais ideias, se realmente existirem, confirmam mais uma vez as vantagens das armas russas, mesmo daquelas que não são novas, como vemos. Porém, a própria ideia suscita algumas questões. Se alguém quiser realizar esse trabalho legalmente, segundo as regras, que venha à Rosoboronexport e discuta a questão. Caso contrário, trata-se de cópia ilegal de tecnologias russas, ou seja, de roubo", disse o representante da corporação.

    O consórcio russo Kalashnikov, por sua vez, declarou não conhecer concretamente tais planos dos EUA, mas acrescentou não estar surpreendido, sublinhando que o fato prova a segurança das armas russas.

    Mais:

    Moscou: instalação de sistemas Mk-41 pelos EUA na Polônia e Romênia contradiz tratado INF
    Mesmo gastando milhões para abri-la, misteriosa base aérea dos EUA foi fechada no Chipre
    Rússia eliminará bombas antigas deixadas pelos EUA em Laos
    EUA revelam estratégia de defesa contra ameaças eletromagnéticas
    Tags:
    vantagens, metralhadoras, armas russas, roubo, Rosoboronexport, Consórcio Kalashnikov, Rostec, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik