22:17 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Fuzileiros navais dos EUA na Noruega participam dos exercícios Cold Response

    EUA têm armazéns de armas por toda a Europa, mas será que ajudarão em caso de guerra?

    CC0 / Departamento de Defesa dos EUA
    Defesa
    URL curta
    271

    Em caso de um conflito na Europa, os militares norte-americanos poderão encontrar seus armamentos em um estado inoperacional nos armazéns situados no Velho Continente, dizem os resultados de uma auditoria do Departamento de Inspeção Geral da Defesa dos EUA.

    É mais fácil transportar soldados do que tanques, por isso os Estados Unidos há muitos anos que mantêm armazéns de armas em possíveis zonas de conflito.

    Porém, "se um conflito surgir na Europa, as tropas dos EUA poderão encontrar equipamentos e veículos quebrados à sua espera", segundo o relatório, citado pelo National Interest.

    Especialistas americanos examinaram os armazéns localizados na Bélgica, Itália e Noruega e acreditam que os mesmos problemas afetam os armazéns de armas situados em outros países da Europa.

    A manutenção do equipamento para que esteja operacional quando necessário é especificada pelos regulamentos especiais. No entanto, o relatório mostrou que o Exército e o Corpo de Fuzileiros Navais nem sempre mantêm as armas corretamente.

    Assim, o Comando de Blount Island, responsável por monitorar os armazéns estadunidenses na Noruega, "não realizou ou não documentou a manutenção de 30 das 36 armas e 124 dos 165 veículos incluídos na amostra", cita o jornal a auditoria.

    O National interest destaca que os armazéns do Corpo de Fuzileiros Navais na Noruega se encontram em cavernas, sendo operadas pelo pessoal norueguês civil e militar, mas os militares americanos não lhes disseram para monitorar o nível de humidade.

    A situação dos armazéns de armas do exército não está melhor, diz o jornal. O exército italiano não assegurou a manutenção de 21 dos 63 veículos da amostra dos armazéns situados em Livorno "porque os oficiais não previram a necessidade de realizar a manutenção requerida para missões operacionais não programadas".

    O fato de o pessoal "não prever" missões não programadas parece curioso ao analista do jornal, pois o Pentágono mantém estes armazéns exatamente devido a possíveis missões inesperadas.

    "Sem equipamento pré-instalado com correta manutenção, o Exército e o Corpo de Fuzileiros Navais poderão ser incapazes de responder plenamente ao pedido de dar uma resposta imediata a uma crise, se tal for necessário na Europa ou África", conclui o documento.

    A inspeção põe em questão o recurso a armazéns pré-instalados, que são um componente vital da estratégia dos EUA, opina o analista do National Interest.

    Quanto mais armas já estão posicionadas, menos será preciso transportar através do oceano, mas acrescenta: estas armas precisam funcionar.

    Mais:

    Reino Unido deslocará 800 militares para a Noruega
    Militares estadunidenses planejavam usar armas nucleares na Guerra do Vietnã, diz mídia
    Tags:
    manutenção, equipamento, armas, depósito, armazém, The National Interest, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, Exército dos EUA, Noruega, Itália, Europa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik