05:24 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Testes do primeiro míssil balístico soviético R-1

    Como alemães ajudaram a criar primeiro míssil soviético depois da 2ª Guerra Mundial

    © Foto: JSC "RSS"
    Defesa
    URL curta
    5190

    Os bombardeios atômicos das cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, realizados pela Força Aérea americana nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, estimularam o programa soviético de mísseis.

    Em Moscou compreendiam que a União Soviética poderia se tornar no próximo alvo. O lançamento do primeiro míssil intercontinental ainda estava longe de acontecer. O míssil soviético R-1 foi totalmente baseado no míssil alemão A-4, também conhecido como V-2, e não apresentava grande alcance e precisão.

    Ao final da Segunda Guerra Mundial, o míssil A-4 alemão era o único míssil no mundo produzido em série. O míssil tinha uma fabricação complexa e não tinha a precisão desejada. Aproximadamente 20% dos A-4 detonavam no ar pouco após o lançamento.

    A fábrica Mittelwerk, localizada em Turíngia, fazia parte de um complexo de fábricas do campo de concentração de Dora-Mittelbau, onde eram fabricados os mísseis A-4, tendo os norte-americanos retirado do local mísseis, motores e peças. Mais tarde a União Soviética passou a controlar a Turíngia, que os americanos trocaram por Berlim Ocidental. Os soviéticos conseguiram pegar algumas partes de mísseis A-4 sem os projetos, cálculos e documentação técnica.

    Os soviéticos, então, iniciaram o projeto praticamente do zero. A isso se dedicou o terceiro departamento do famoso NII-88, o Instituto de Pesquisa Científica 88, que tinha como chefe de projeto Sergei Korolev. Para realizar o projeto a União Soviética contou com a ajuda de aproximadamente 150 especialistas alemães, que concordaram trabalhar para os soviéticos. Juntando os esforços foram montados vinte mísseis A-4 e efetuados onze lançamentos entre 18 de outubro e 13 de novembro de 1946.

    Os construtores e engenheiros soviéticos analisaram cada centímetro das "superarmas" alemãs, decidindo construir uma cópia exata. Korolev concluiu que seria preciso começar por foguetes mais elementares e depois partir para algo mais complexo.

    O primeiro míssil balístico soviético de curto alcance, fabricado totalmente com componentes nacionais, foi lançado em 17 de setembro de 1948. No total foram lançados dez mísseis em 1948 e vinte em 1949. Neles foi instalado um sistema automático de orientação inercial e um motor um pouco mais potente, aumentando o alcance do voo de 250 para 270 km.

    O R-1 tinha quase 15 m de comprimento (um prédio de cinco andares), pesava mais de 13 toneladas e atingia uma velocidade máxima de 1.465 km/h.

    Com o míssil na vertical, era realizado o teste do sistema de controle, carregado o combustível e os meios de geração de gases, também era apontado. A preparação do míssil na sua posição técnica levava de 2 a 4 horas e em na posição de disparo — aproximadamente 4 horas. Com todo esse desenvolvimento, a União Soviética adquiriu uma grande experiência, desenvolvendo novas tecnologias para futuros equipamentos militares.

    "Não se pode menosprezar o valor dos mísseis A-4 e R-1, pois eles foram um grande avanço em uma área tecnológica completamente nova", disse o acadêmico Boris Chertok, colega e amigo próximo de Korolev.

    Mais:

    Rússia desenvolve radar especial para drones utilizados na exploração do Ártico
    Ministério da Defesa: Rússia vai realizar manobras militares em grande escala cada 5 anos
    Rússia usa 'mísseis invisíveis' durante manobras Vostok 2018
    Tags:
    soldados soviéticos, alemão, Segunda Guerra Mundial, mísseis, míssil, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik