00:13 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    B-2 Spirit norte-americano

    Bombardeiro B-2 Spirit dos EUA será equipado com bomba nuclear de precisão

    © Foto : US Air Force / Cherie A. Thurlby
    Defesa
    URL curta
    1064

    A Força Aérea dos EUA realizou uma avaliação completa da bomba nuclear B61-12 com carga convencional que foi lançada a partir do bombardeiro estratégico B-2 Spirit no final de junho, relatou o portal Military Watch.

    Trata-se de uma das munições nucleares mais versáteis dos EUA. Ela tem uma carga útil relativamente baixa, de modo que Washington poderia usá-la como uma arma de precisão contra alvos tão diversos como a concentração de tropas, bunkers, redes de túneis e postos de comando sem colocar em risco cidades inteiras.

    A B61-12 é a décima segunda versão da bomba nuclear norte-americana B61. Esse modelo é uma munição guiada que pode ser lançada de até 10 quilômetros de distância do alvo e a trajetória de sua queda programada pode ser ajustada com sinal de GPS.

    Há cinco tipos de ataques que podem ser realizados: penetração no solo, explosões de alto e baixo desempenho, detonação acima da superfície e penetração em locais protegidos.

    Segundo o diretor do Projeto de Informação Nuclear, Hans Kristensen, "a principal vantagem da B61-12" é a combinação de "todas as capacidades da bomba gravitacional" e a eficácia "contra qualquer alvo".

    Por sua vez, o B-2 Spirit se destaca por suas tecnologias furtivas, mas é o único bombardeiro "puro" que ainda existe no mundo – é incapaz de lançar mísseis – e isso o torna mais vulnerável, pois para cumprir sua missão necessita se aproximar do alvo.

    Mais:

    Bombardeiro dos EUA cruza zona de defesa aérea chinesa
    O que leva o Pentágono a ocultar intencionalmente falhas do caça F-35?
    Mais uma função do Su-57: caça russo terá comunicação com solo
    Tags:
    trajetória, GPS, bombardeiro estratégico, bomba nuclear, B-2 Spirit, Força Aérea dos EUA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik