22:46 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados russos e indianos durante os exercícios conjuntos antiterroristas Indra-2014

    Analista comenta ameaças dos EUA à Índia pela possível compra de sistemas russos S-400

    © Sputnik / Kirill Braga
    Defesa
    URL curta
    6170

    Os EUA ameaçaram a Índia com sanções por causa da compra de armas à Rússia. O chefe do Centro de Estudos de Problemas Sociais Aplicados de Segurança Nacional, Aleksandr Zhilin, comentou as ações dos norte-americanos ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Os EUA estão preocupados com os planos indianos para a compra de armas à Rússia, incluindo sistemas de mísseis antiaéreos S-400, e pensam introduzir medidas restritivas devido a esses planos, anunciou o subsecretário da Defesa dos EUA para Assuntos de Segurança da Ásia e do Pacífico, Randall Schriver.

    Ele explicou em uma reunião em Washington que não pode garantir à Índia que a lei sobre sanções CAATSA não abranja esses planos.

    "Eu não posso dizer aqui que eles não serão sujeitos [a sanções], que será feita uma exceção. Essa decisão deverá ser tomada pelo presidente [dos EUA], se ele vir a aquisição pela Índia de novos sistemas e potencial da Rússia […] Não posso dizer que será feita uma exceção", destacou Schriver.

    Ele lembrou a preocupação com os planos da Índia em adquirir sistemas de mísseis antiaéreos S-400 russos, mas declarou que os EUA, em geral, reconhecem os antigos laços entre a Índia e a Rússia na esfera da defesa, mas que no futuro querem reorientar a Índia na sua direção, comentando que os EUA poderiam ser parceiros melhores e mais seguros do que a Rússia.

    Segundo a lei norte-americana sobre sanções CAATSA, os EUA podem introduzir sanções contra os países que compram armas russas. O Departamento de Estado afirmou anteriormente que já tinha persuadido uma série de países a renunciarem a contratos com a Rússia.

    O chefe do Centro de Estudos de Problemas Sociais Aplicados de Segurança Nacional, Aleksandr Zhilin, avaliou as ações dos norte-americanos para o serviço russo da Rádio Sputnik, chamando a situação de "caos completo" e comparando os EUA com "bandidos que irrompem no mercado e jogam mercadorias ao lixo".

    "Hoje o armamento americano, antes de mais os sistemas de defesa antimíssil, não é competitivo em comparação com o russo. Por isso os americanos agem de modo duro, ameaçando imediatamente a Índia com sanções. Mas tal atitude é de rapina, levando em consideração que os americanos procuram não permitir que a Índia (bem como a Turquia e outros países) compre armas defensivas", comenta Aleksandr Zhilin.

    O especialista afirma que o Pentágono entende bem que com os sistemas S-400 seria difícil para os EUA exercerem uma pressão militar, por isso surge esta "histeria". Ele pensa que os países que cuidam da sua segurança nacional devem olhar para a qualidade do armamento e não para as ameaças de outros países.

    O novíssimo sistema de mísseis antiaéreos S-400 Triumph é capaz de destruir alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro, mísseis balísticos, inclusive de médio alcance, assim como alvos terrestres. Tem um alcance de até 400 quilômetros, podendo atingir alvos a uma altura de até 30 quilômetros.

    O presidente russo Vladimir Putin e o primeiro-ministro indiano Narendra Modi chegaram a um acordo sobre fornecimentos de sistemas S-400 a Nova Deli em outubro de 2016, que poderão ter início em 2020 se o contrato for assinado até ao fim do ano.

    Mais:

    Como sanções estadunidenses minam hegemonia do dólar?
    China apela à comunidade global contra sanções unilaterais
    Rússia responderá a sanções dos EUA de forma recíproca, diz chanceler russo
    Novas sanções dos EUA contra Moscou por caso Skripal são ilegítimas, diz embaixada russa
    Tags:
    mísseis antiaéreos, sanções, S-400 Triumph, Randall Schriver, Narendra Modi, Vladimir Putin, Índia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik