06:59 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Tiltrotor Osprey

    Japão aumenta sua defesa com posicionamento de 17 aeronaves militares

    © AP Photo / Maya Alleruzzo
    Defesa
    URL curta
    490

    O governador da prefeitura japonesa de Saga, Yoshinori Yamaguchi, concordou com o plano do Ministério da Defesa de posicionar dezessete aeronaves militares tiltrotor Osprey na prefeitura, comunica a emissora pública japonesa NHK.

    Está planejado que os tiltrotores sejam instalados no aeroporto internacional Kyushu-Saga e usados pela Força Terrestre de Autodefesa japonesa para aumentar suas capacidades, incluindo a proteção de ilhas distantes perante a crescente presença naval da China, informa o portal The Japon Times.

    De acordo com a emissora NHK, ambas as partes combinaram que o governo pagaria 10 bilhões de ienes (cerca de 369 milhões de reais) de taxas aeroportuárias à prefeitura durante 20 anos. As autoridades usarão esse dinheiro para estabelecer um fundo para impulsionar a indústria de pesca local.

    "O pedido do Ministério da Defesa está relacionado com a segurança, o que é fundamental para o país. É uma posição básica da prefeitura de Saga cooperar na área da defesa nacional, e nós também devemos suportar alguns encargos. A explicação sobre segurança do Ministério da Defesa não tem pontos injustificados, e eu creio que o acordo de hoje eliminou alguns receios dos pescadores", diz Yamaguchi, segundo cita a emissora.

    Depois de receber a aprovação das autoridades da prefeitura, o Ministério da Defesa japonês entraria em negociações com os pescadores e proprietários de terras ao sul da cidade de Saga, onde deverão ser construídos quartéis e outras instalações, acrescentou a emissora.

    Mais:

    OTAN e o Japão realizaram manobras conjuntas no mar Báltico
    Coreia do Norte acusa Japão de ter 'ambições nucleares'
    Japão critica Coreia do Sul por enviar navio para ilhas disputadas
    Tags:
    aeroporto, aeronave, tiltrotor, pescadores, Ministério da Defesa, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik