23:46 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Caça norte-americano F-15 sobrevoa campos nos arredores de Dolgellau, no norte do País de Gales

    Caça americano F-15Х será equipado com número recorde de mísseis

    © AFP 2018 / Oli Scarff
    Defesa
    URL curta
    1258

    O caça norte-americano Boeing F-15X será equipado com um número recorde de mísseis – 22 – da classe ar-ar, informa o portal The Drive.

    Como alternativa, o avião poderá ser dotado de 8 mísseis ar-ar e 28 bombas aéreas guiadas de alta precisão GBU-39. Para comparar, o avião saudita F-15SA só transporta dez mísseis da classe ar-ar.

    O avião será diferente da maioria dos caças F-15, em particular, pela estrutura da asa interna, elementos de direção, radar APG-82 com matriz ativa faseada, sistema eletrônico de vídeo e sistema infravermelho de busca e monitoramento. O piloto do caça receberá um capacete com o display JHMCS (Joint Helmet-Mounted Cueing System) de segunda geração.

    O tempo de voo planejado é estimado em 20 mil horas. As despesas de exploração do caça por hora são de 27 mil dólares (101 mil reais). O custo de um F-15X não deverá superar os 65 milhões de dólares (243 milhões de reais). A produção do novo avião permitirá, com a fabricação de dezenas de máquinas por ano, ocupar a usina da Boeing em Saint Louis por muitos anos.

    O portal sublinha que as Forças Armadas dos EUA "levam muito a sério" a substituição dos caças da quarta geração F-15C e F-15D, postos em serviço ainda nos anos 70, pelos F-15X. Os novos aviões devem desempenhar o papel de apoio de fogo dos caças de quinta geração F-35 que se distinguem por ser furtivos, mas portam menos armas.

    Mais:

    Programa caro, avião barato: F-35 dos EUA se tornaria o caça ocidental mais competitivo?
    Adeus a 'stealth': por que tecnologia furtiva dos aviões de combate não funcionaria mais?
    Por que edição norte-americana prevê futuro pouco animador para caça russo Su-57?
    Tags:
    tecnologia furtiva, monitoramento, míssil ar-ar, caça, F-35, F-15, Boeing, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik