23:15 12 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça americano F-35 (centésimo voo)

    Alternativa aos F-35 estadunidenses: Europa desenvolve seu próprio caça de 6ª geração

    CC BY 2.0 / Samuel King Jr / F-35 100th flight
    Defesa
    URL curta
    591

    Representantes das empresas do setor de defesa europeias revelaram detalhes sobre o desenvolvimento de um caça de sexta geração. O especialista russo Dmitry Drozdenko comenta o futuro da indústria aeronáutica europeia.

    Vários países europeus estão desenvolvendo caças de sexta geração. Empresas no Reino Unido, França e Alemanha trabalham em projetos denominados Future Combat Air System. A Sputnik Mundo falou com representantes dessas empresas e perguntou a um especialista por que a Europa está à procura de uma alternativa aos F-35 norte-americanos.

    O Future Combat Air System (FCAS) é o nome de um caça de sexta geração usado tanto no Reino Unido, como no projeto franco-alemão. 

    Inicialmente era um projeto único, desenvolvido pelo Reino Unido e a França, mas a decisão de Londres de abandonar a UE pôs em questão a cooperação militar entre os dois países. 

    'Projeto verdadeiramente europeu'

    A Sputnik Mundo perguntou ao representante da empresa britânica BAE Systems, envolvida no projeto FCAS, sobre o futuro do novo caça.

    Segundo ele, a empresa continua "cooperando ativamente com o Ministério da Defesa do Reino Unido e outras empresas de defesa na área de desenvolvimento de tecnologias aéreas de ponta". Além disso, a BAE Systems continua investindo em novas tecnologias para criar um "avião do futuro". 

    Além disso, o consórcio aeronáutico europeu Airbus, cuja sede se encontra na França, revelou que o primeiro voo do avião FCAS deve ser realizado em 2040, mas esses prazos podem ser adiados. 

    "Na presente fase, não foi concluído nenhum contrato, nem foi apresentado o roteiro do projeto, no entanto prevemos que este seja elaborado até o fim de 2018. Entretanto, estamos convencidos que esse projeto deve ser verdadeiramente europeu", disse o porta-voz da Airbus Defence and Space, Florian Taitsch.

    O representante do Airbus afirmou que outros países europeus poderiam aderir ao projeto em fases posteriores.

    Na mídia surgiu também a informação sobre a possível participação da Espanha no projeto Future Combat Air System. Representantes do Ministério da Defesa da Espanha revelaram à Sputnik Mundo que, na primavera de 2018, a França e Alemanha propuseram a Madrid tomar parte do projeto como "observador". Essa mesma informação foi confirmada à Sputnik pelo Airbus.

    À procura de uma alternativa aos F-35 norte-americanos

    O caça norte-americano de quinta geração F-35 foi anunciado como um projeto desenvolvido pelos EUA em cooperação com outros países (incluindo o Reino Unido), mas quem irá principalmente lucrar será a empresa estadunidense Lockheed Martin, explicou o editor-chefe adjunto da revista russa Arsenal Otechestva, Dmitry Drozdenko.

    "Para a Europa, o desenvolvimento de seu próprio material bélico significa a restauração de sua indústria aeronáutica de alta tecnologia, e a transferência do centro dos lucros para a Europa. É uma questão de dinheiro", explicou Drozdenko.

    O analista está muito cético quanto ao prazo do primeiro voo do avião e especialmente quanto à sua produção em série, sublinhando que a criação dessa aeronave é um processo muito complicado.

    Ele também não excluiu a participação de outros países europeus no desenvolvimento do novo caça, porque a redistribuição da produção poderia contribuir para o aumento do potencial tecnológico dos países da UE. 

    Mais:

    Lockheed Martin entrega 300º caça F-35 aos militares dos EUA após anos de obstáculos
    Tags:
    aviação militar, caça, F-35, EUA, Reino Unido, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik