18:04 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça soviético MiG-15 decola da base aérea de Finsterwalde na Alemanha Oriental, 27 de agosto de 1956

    Mídia americana conta sobre 'troféus' militares soviéticos usados após 2ª Guerra Mundial

    © AP Photo / STANGENBERG
    Defesa
    URL curta
    1125

    Não somente a União Soviética e a Rússia apreendiam e estudavam modelos das armas ocidentais, mas também os EUA e seus aliados realizavam regularmente estudos do armamento soviético e russo, escreve o The National Interest.

    O jornal norte-americano observa que em 1951 uma equipe britânico-americana conseguiu restaurar o caça soviético MiG-15. Além disso, pilotos desertores ajudaram muito na divulgação de segredos militares soviéticos. O caso mais notável destacado pelo The National Interest é o voo do piloto Viktor Belenko da União Soviética ao Japão na aeronave MiG-25P em 1976.

    A publicação relata que modelos de equipamento militar soviético como tanques T-62 e T-72, veículos de combate de infantaria e o míssil antitanque de primeira geração Malyutka foram entregues aos militares ocidentais pelos israelenses.

    "A regra básica da guerra é esta: se você usar suas armas em batalha, seus inimigos as terão em suas mãos", conclui a publicação.

    Em abril de 2018, forças sírias transferiram para os russos fragmentos de armas ocidentais, em particular partes de dois mísseis de cruzeiro Tomahawk não detonados. Componentes das armas foram mostrados em um briefing especial do Ministério da Defesa da Rússia. Ao mesmo tempo, os militares russos disseram que os componentes dos mísseis serão estudados para melhorar os modelos das armas russas.

    Mais:

    Caça Su-57 russo será uma das 'máquinas mais potentes do mundo'
    Lockheed Martin entrega 300º caça F-35 aos militares dos EUA após anos de obstáculos
    'Pesadelo absoluto para EUA': China revela novo caça não tripulado (FOTO)
    Tags:
    caças, aeronaves, segredos militares, T-72, T-62, MiG-15, Tomahawk, União Soviética, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik