02:33 23 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Militares ucranianos (foto de arquivo)

    Kiev anuncia para breve criação de 'poderosíssimo' míssil de cruzeiro

    © REUTERS / Gleb Garanich
    Defesa
    URL curta
    440

    No ano que vem, Kiev pode criar um "poderosíssimo" míssil de cruzeiro antinavio, comunicou o chefe do Centro de Estudos do Exército, Conversão e Desarmamento ucraniano, Valentin Badrak.

    De acordo com ele, o míssil será capaz de atingir "quaisquer alvos" a uma distância de 280 a 300 km.

    "Trata-se de um poderosíssimo meio terrestre móvel, que poderia ser usado para objetivos da Guarda Costeira", afirmou Badrak, acrescentando que o míssil seria um "fator psicológico" da pressão contra a Rússia.

    Testes do míssil ucrâniano Olkha (foto de arquivo)
    © Foto : Administração da Presidência da Ucrânia/Mikola Lazarenko
    Enquanto isso, o militar admitiu que o mar sempre foi o "ponto mais fraco" da Ucrânia. Ele frisou que o país possui capacidades limitadas de reação, que, segundo ele, devem ser ativadas.

    "Na ótica de Kiev, as forças navais sempre foram um outsider em relação ao desenvolvimento e financiamento", assinalou Badrak em entrevista à edição Apostrof.

    O equipamento militar ucraniano não goza de popularidade nem dentro do país, nem tampouco entre seus parceiros do exterior. Assim, no início de 2014, o Iraque devolveu a Kiev 42 veículos de transporte blindados BTR-4, cancelando o contrato para seu fornecimento. De 88 veículos, adquiridos pelo comprador, os militares iraquianos conseguiram ligar 56 e somente 34 deles se moveram.

    Em fevereiro, surgiram informações que a Croácia devolverá à Ucrânia quatro aviões MiG-21 defeituosos, exigirá sua troca, bem como solicitará uma investigação detalhada em relação à má qualidade da reparação dos aviões na Fábrica de Aviação de Odessa.

    Mais:

    Ucrânia reconhece ser vulnerável perante Rússia no mar de Azov
    Ex-presidente da Ucrânia encontra maneira de 'recuperar' Donbass para o país
    Parlamentar da Ucrânia revela como reconquistar respeito da Rússia
    Tags:
    míssil de cruzeiro, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik