16:16 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Bombardeiro pesado B-52

    EUA planejam armar bombardeiro B-52 com 'Mãe de Todas as Bombas'

    © AFP 2018 / Paul CROCK
    Defesa
    URL curta
    435

    A Força Aérea dos EUA pretende modificar os bombardeiros pesados B-52 Stratofortress para serem capazes de transportar a chamada "Mãe de Todas as Bombas", o apelido da arma Massive Ordnance Air Blast (MOAB na sigla em inglês), segundo um novo relatório.

    A bomba causou repercussões em abril do ano passado, quando os militares norte-americanos a lançaram contra um alegado campo do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) no Afeganistão. A MOAB é considerada a mais poderosa bomba não nuclear no arsenal dos EUA.

    "A Força Aérea está procurando informação da indústria em relação a "fontes que podem possuir conhecimento, capacidades, experiência e satisfazer as exigências de qualificação" para colocar as bombas no B-52, uma das mais velhas unidades militares ainda usadas nos EUA, segundo o Pedido de Informação (RFI na sigla em inglês) publicado em 21 de junho.

    Quando a arma foi lançada em 2017, as tripulações jogaram a bomba a partir de um avião de carga C-130, e o sistema de satélite fez o resto do trabalho.

    Os aviões Stratofortress têm "limitações" no que se refere à capacidade de portar armas pesadas sob as asas, de acordo com a RFI, o que requer modificações para instalar munições de mais de duas toneladas. Normalmente, os B-52 portam a maioria das armas na seção de armas, mas as suas portas são menores do que o tamanho da MOAB, que ultrapassa os nove metros.

    Estes bombardeiros também podem transportar armas nucleares, que, ironicamente, são muito menores que as MOAB, mas milhares de vezes mais poderosas.

    Mais:

    Pentágono perde metade de seus aviões estratégicos em 1 dia: o que se passa?
    Bombardeiros dos EUA sobrevoam proximidades do mar do sul da China
    Raio faz buraco do tamanho de uma pessoa em bombardeiro B-52
    Tags:
    Mãe de todas as bombas, Bombardeiro, B-52, MOAB, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik