04:21 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Caça norte-americano F-35 Lightning II

    Lockheed Martin criará híbrido de caças F-35 e F-22 a pedido do Japão?

    CC0
    Defesa
    URL curta
    773

    Segundo algumas comunicações, o Japão e a companhia norte-americana Lockheed Martin estão discutindo a criação de um híbrido dos caças F-22 e F-35 para proteger o espaço aéreo japonês a partir de 2030.

    O governo japonês está buscando a compra de desenho para uma aeronave que será a combinação do caça F-22 Raptor, cuja exportação está proibida e que já não está em produção, e o F-35 Lightning, que já está sendo comprado por Tóquio aos EUA.

    O desenho vai incorporar as caraterísticas do "F-22 e F-35 e poderia superar ambos", disse em 20 de abril uma fonte à agência Reuters. De acordo com a mídia, a Lockheed está à espera da aprovação do governo dos EUA para apresentar detalhes importantes sobre a novíssima tecnologia do Pentágono.

    A frota atual do Japão de caças F-15J e F-2 está baseada em um desenho velho de décadas que tem como modelos o F-15 da Boeing e o F-16 da Lockheed respetivamente.

    O futuro do programa de caças japoneses da próxima geração continua indefinido. "Estamos considerando um desenvolvimento nacional, um desenvolvimento conjunto e a possibilidade de melhoria das aeronaves já existentes", declarou em 20 de abril o ministro da Defesa japonês, adicionando que o país ainda não tomou nenhuma decisão.

    O presidente norte-americano, Donald Trump, teve um encontro bilateral com o premiê japonês, Shinzo Abe, na Flórida, EUA. A parceria entre os EUA e Japão foi reforçada via renovação dos compromissos na área de defesa entre Trump e Abe.

    Mais:

    Caças estadunidenses executam 'última intercepção' durante eclipse solar (VÍDEO)
    Será que Argentina está pronta para adquirir caças russos MiG-29?
    Até 2025, caça F-35 integrará sistema de defesa antiaérea estadunidense
    Tags:
    armas, frota, programa, caça, F-35, F-22, Donald Trump, Shinzo Abe, Japão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik