00:52 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Grupo de caças russos MiG-31 nos céus de Moscou

    Quais são vantagens de ter segundo piloto nos aviões de combate?

    © Sputnik / Aleksandr Galperin
    Defesa
    URL curta
    3321

    Especialista explica por que às vezes pilotos virtuais não podem substituir o homem. Os Su-30SM e Su-35S são os caças mais modernos da Força Aeroespacial russa. Os dois caças têm caraterísticas técnicas quase iguais, mas o Ministério da Defesa compra ambos os aviões.

    Há várias razões para isso, entre eles está a rentabilidade econômica de usar duas grandes fábricas e as táticas diferentes de utilização operacional dos aviões de guerra de um e de dois lugares. Especialista militar Andrei Kots revelou as vantagens dos caças e bombardeiros táticos com dois assentos na cabine do avião.

    Segundo o especialista, os aviões com dois assentos são mais universais que os de um lugar, tanto em combate, como em navegação e organização do voo em geral, enquanto o caça com um assento Su-35S foi criado apenas para batalhas aéreas. O Su-30SM e Su-35S têm dimensões e peso máximo de decolagem iguais, mas os motores do Su-35S são mais pesados e potentes. Isso significa que o Su-35S ganha em peso de armamento e manobrabilidade.

    A ausência de equipamento pesado para o segundo piloto (complexo de instrumentos de bordo, sistemas de suporte de vida e outro equipamento) também contribui para as características de voo. Por outro lado, graças aos aparelhos adicionais do segundo piloto, o Su-30SM com dois assentos pode coordenar as ações de um grupo dos aviões, realizar vigilância, realizar operações de guerra eletrônica e atacar alvos terrestres.

    "Durante uma missão de combate o avião manobra ininterruptamente sua velocidade e altura durante más condições de visibilidade, durante o dia ou a noite", revelou o major-general e piloto emérito da Rússia Vladimir Popov.

    "Ele pode ser atacado a partir de terra ou do ar, mas o piloto deve, apesar de todas as dificuldades, romper o sistema de defesa aérea e atacar o alvo. É evidente que toda a atenção está concentrada na pilotagem, enquanto o navegador-operador busca e acompanha os alvos, lança os mísseis e bombas. Os voos em formação são mais difíceis. É preciso controlar que ninguém se perde nas nuvens ou fica para trás […] Neste caso o segundo piloto também é muito útil. Realiza vigilância, busca os alvos e perigos potenciais, segue os aviões que participam do voo em formação", explicou ele.

    Popov sublinhou que a maioria dos caças modernos tem um piloto virtual – um complexo informático que controla o funcionamento dos diferentes sistemas e garante a segurança de voo. Entretanto, é melhor ter na cabine do avião um segundo piloto humano com boa reação a formação certa.

    É por isso que os caças MiG-31 foram escolhidos como portadores para os mísseis hipersônicos mais modernos apelidados de Kinzhal. O avião é de dois assentos e facilitará a distribuição das tarefas entre os pilotos durante o trabalho com armamento tão avançado. Esses aviões realizam voos a grandes distâncias. O segundo piloto ajudará a corrigir os pequenos erros do primeiro piloto e até deixá-lo descansar pilotando o avião, concluiu o especialista.

    Mais:

    Derrubada do caça israelense F-16 evidencia 'ataque estratégico ao inimigo'
    Opinião sobre projétil que derrubou caça russo: máfias militares 'disfarçam' vestígios
    Tags:
    caça, Su-30SM, Kinzhal, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik