03:47 21 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    A bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo).

    'Suposições absurdas': China critica nova doutrina nuclear dos EUA

    © REUTERS / Hyungwon Kang
    Defesa
    URL curta
    6130

    É absurdo considerar a China como ameaça nuclear, declarou o Ministério da Defesa da China, comentando a nova doutrina nuclear dos EUA.

    "O Departamento de Defesa dos EUA publicou a doutrina nuclear do país em que foram feitas suposições absurdas sobre os planos de desenvolvimento da China e exagerou a ameaça das forças nucleares chinesas. Nos opomos a isso resolutamente", diz o comunicado.

    A nota sublinha que "a China defende com firmeza o caminho do desenvolvimento pacífico, a política estatal de caráter defensivo e cumpre seu compromisso de não ser o primeiro a usar armas nucleares e nunca usar ou ameaçar usar armas nucleares contra países que não têm potencial nuclear".

    O Pentágono tornou pública, em 2 de fevereiro, a nova doutrina nuclear dos Estados Unidos em que considera a China, o Irã e a Coreia do Norte como potenciais ameaças, sublinhando o desenvolvimento do potencial nuclear russo.

    Washington aposta em modernizar o seu arsenal nuclear e melhorar seus mísseis intercontinentais, submarinos e bombardeiros.

    O Ministério do Exterior russo expressou sua decepção com a nova doutrina nuclear dos EUA, alegando o seu caráter de "confrontação", e afirmou que o documento "não tem nada que ver com a realidade".

    Mais:

    EUA defenderão estratégia nuclear visando ameaças de Rússia e China
    Quais são os planos dos EUA em caso de possíveis guerras com Rússia e China?
    Além da Rússia e China, quem mais pode concorrer com EUA?
    Tags:
    armas nucleares, ameaça nuclear, doutrina, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik